30/12/07

Yah, se prometi...

video

Do 0.

Primeiro tiraram umas coisitas, depois as razões da vida, depois a vida. E ele não morreu. Agora está no zero, sem nada. E isso é mau? Não, isso é o cair no fosso profundo, no zero.
De agora para a frente só pode ser a subir, não é?
Ninguém vai morrer, pois não?

Há quem se queira levantar e há quem queira cair no fundo, para fazer reset ao termómetro, não estão de acordo?

29/12/07

O primeiro.


Já lá vão uns 13 anos e a minha primeira fora da zona foi com este rapazinho. É claro que já tinha ido à SuperFM e à RHT e à Nova Antena e a outras por aqui. Mas assim longe, no caso em Gaia, foi a primeira. Nova Era chamava-se a rádio e fui contactado por telefone, ensinaram-me o caminho e lá fui eu dar de caras com o rapazito de cara e verbo atrevidos. Fizemos uma entrevistazeca mas conversámos bué em off. Mais tarde andámos outras vezes de copo na mão, como num engraçado júri de um concurso de música em Pinhal Novo em que os restantes membros nos queriam convencer a votar no grupo que eles gostavam.
Pronto, o Alvim foi o primeiro a sério, a sério e ele, às vezes, anda aqui e na SIC Radical e na Antena 3 e por aí..

24/12/07

Chamadas recebidas.


Atendo o telefone.
-Oi Zé estás bom? Olha liguei-te para te desejar bom Natal e bom ano.
-Xiii, já não falávamos há imenso tempo, como estás? Bom Natal para ti também mano.
-Ya obrigado, mas para mim o Natal é bacalhau com batatas.

E brócolos apeteceu-me dizer. Contudo, gosto destes telefonemas em que ficamos a pensar o que o chamador quereria dizer com aquilo.

23/12/07

Ah e...

também vos queria dizer que não levem a sério aquela máxima do: " não deixes para amanhã o que podes fazer hoje", em vez disso optem por: "depressa e bem não há quem".
Depois explico, vou bater as claras.

E chega.

Foi muito difícil por questões físicas fazer as compras de Natal este ano, por isso chega, não dá mais, tomem lá guito e façam as compras por mim. Pelo menos não podem acusar ninguém de ter escolhido mal, he he he.

BOM NATAL PARA TODA A GENTE, ATÉ PARA MIM!!!

20/12/07

É Natal trá-lá-lá...

Dia 20 de Dezembro, 12:48 horas, Centro Comercial Colombo.
Á porta dos WC aparece uma senhora quase a gritar a dizer que foi roubada. Tinha ido à Worten comprar uma máquina de barbear para o companheiro, que lhe custara 80 euros, e depois foi à casa de banho. Poisou a mala e o saco da prenda no chão ao lado da sanita, baixou as calcinhas e despachou a necessidade. Quando se levantou e depois de ajeitar as calcitas reparou que ao lado da mala já não estava o saquito com a prenda. Como as divisórias dos sanitários não chegam até ao chão, alguma senhora decidiu fazer horas extraordinárias, ou não, e levou a compra da nossa amiga. É Natal.

14/12/07

Funeral.

Fui ao funeral da esperança e ela era a última a morrer, que faço eu vivo? Vivo?

É a vida.


A vida caminhava com a etiqueta crise. Era sempre assim. Se falava diziam-lhe que não tinham argumentos para ele, se calava trocavam-lhe as voltas todas. Um dia no meio da discussão número 938 da semana a Maria disse-lhe: - É claro que tens razão, mesmo nos outros 4 casamentos que tiveste a culpa era sempre das mulheres, tu é que és o bonzinho.
Passou-se, marcou mesa no Viúva e levou a mulher a jantar. Começou a falar ao 2º copo e disse: - Tenho pensado muito no que me tens dito e estou convencido que tens razão. Tudo o que fiz na vida foi mal feito ou eu nunca fiz nada que fosse o correcto como diz a canção. Como não posso voltar atrás e modificar o que está feito, só me resta uma solução: vou fazer tudo de novo para provar que aprendi com a vida. Assim sendo preciso que nos divorciemos para eu voltar a casar com a Lita a minha primeira mulher.
Conforme ia falando ia bebendo o que levou a mulher a confundir um pedido de ajuda com uma bebedeira, como quase sempre acontece.
Recebi hoje o convite dele para o seu recasamento com a Lita. É a vida.

Grande Tratado.

E podem perfeitamente embirrar com a propaganda, dizer que não passa de "cagança", que o Sócrates é maniente e arrogante. Podem até dizer que isto não interessa a ninguém, que não diminui o desemprego nem dá de comer a quem tem fome. Podem exigir referendos e até querer referendar as exigências. Mas uma coisa é certa, durante muitos anos vou ouvir falar do Tratado de Lisboa como ouvia do de Roma ou do de Maastrich e isso para mim, que nasci ali, é bom.
Depois foi bonito vê-los a todos ali na nossa cidade e perceber que Lisboa os faz a todos mais bonitos.
Este tratado podia ter sido assinado noutro lado qualquer, as letras eram as mesmas, mas não há lugar melhor nem nome mais bonito.

O tabaquito.



Como é recorrente, em Janeiro lá vão aumentar o tabaquito em mais 10%. Tem de ser, o governo gastas uns trocos largos em campanhas para não fumar e depois, como há algumas pessoas que deixam de fumar, tem de reaver o dinheirinho que essas mesmas pessoas deixam de lhe dar.

É estranho, parece ilógico mas é mesmo assim. Não nos podemos esquecer que do preço de cada maço de tabaco, 80% vão para os cofres das Finanças, é muito não é?

Isto quer dizer que se todos deixassem de fumar eles teriam de ir buscar os euros a outro lado qualquer. É melhor continuar com o vício, portanto...

Las Divas pela 2ª vez:


A Liana estava no Campo Pequeno com as feras, a Lara estava no átrio do Ministério das Finanças. Muito bem as duas.

13/12/07

Não há.












É estranho, não reparo, nem vejo.
É como se não houvesse, não fosse
um algo já inventado, um facto.

Uma alucinação, ainda?
Uma paranóia, uma utopia,
sonho fora de horas, de tempo.

Nada disso. É simples.
É apenas um défice, uma ruptura,
um artigo que falta, um não há.

Ou espero pela reposição,
ou continuo procurando,
ou construo um, de forma artesanal, mas um.

08/12/07

Las Divas em video:

video

18 de Novembro de 2007, Claustros do Ministério das Finanças, Lisboa

BangBalan em vídeo:

video

Dia 2 de Dezembro de 2007, Praça do Comércio, Lisboa

Las Divas repetem:


Repetem amanhã pelas 15:00 horas, desta vez no átrio do Ministério das Finanças.

07/12/07

Birrinhas...

O Tó do burro disse que era uma vergonha, que se devia dinheiro a toda a gente, que era preciso cumprir os compromissos e que a coisa só ia lá se fosse contraído um empréstimo de 500 milhões. O pessoal do laranjal disse que ele era maluco e que nunca iriam permitir tal loucura. O Tó não disse, mas fez entender que se não houvesse o guito ele dava à sola.
O Licas do Norte disse que estava farto de andar a levar tau-tau no rabinho dos Tós e outros tó-tós rosadinhos. O pessoal do laranjal lá deixou o Tó endividar-se em mais 400 milhões.

Afinal o que queria o pessoal do laranjal? E se para o Tózito do burro 400 chegam, porque pediu 500?

Birras...

Futebolices.

O Benfica mantêm-se na UEFA e isso é fixe, aliás o Benfica é fixe. O actual presidente do clube não nasceu para aquilo e isso também é fixe, mas então porque se foi ali meter?
O Luís Filipe Vieira dedicou a vitória do S.L.B. a quem vive à conta de dizer mal dos encarnados. Mas não foi a dizer mal do F.C. Porto que o homem deu a volta aos sócios do Benfica? Curiosamente o treinador do clube pede para os seus jogadores jogarem à Porto e assim ganharam, o ex-treinador , Fernando Santos, fala na superioridade organizativa do Porto em relação ao Benfica e o ex-director de futebol diz que o actual presidente não percebe nada daquilo. Muitos azares ao mesmo tempo, não é? Valia mais terem perdido, LIVRA…, LIVRA…

O Mr. Queirós decidiu aproveitar a vinda a Portugal para dar nas vistas, ele costuma vir mais vezes mas, normalmente, ninguém lhe liga. Apanhou-se com uns microfones à frente e toca de botar figura como sempre fez. O Sr. presidente do Sporting, que anda danado da vida, não gostou e toca de aviar no Carlitos que, como diz o Miguel Sousa Tavares, é dos bluffs mais bem montados em Portugal. A coisa podia acabar aqui, mas não, o Mister ripostou e promete tribunais e afins. Já tinhamos visto isto, não tinhamos?

O F.C.Porto continua a ganhar jogos nas calmas e tem muito mais sucesso que o filme Corrupção. E é assim há muitos anos.

05/12/07

Poderosos BangBalan.


Foi poderosa a apresentação dos BangBalan na Praça do Comércio no domingo passado. Excepcionalmente ensaiados e com uma alegria contagiante, encheram-me de orgulho por os ter atirado para lá. Sendo uma acção de rua, com todo o esforço que isso exige, foi espectacular constatar que foi preciso a entidade contratante pedir para terminarem a sua actuação pois já iam a caminho do dobro do tempo que lhes foi pedido.
Parabéns, amigos, a arte faz-se assim!!!

22/11/07

E as crianças...?

Estou engripado, cheio de expectoração, tosse, corpo dorido e tal. Mas também ando irritado com as notícias, ou, se calhar, ando mais irritado com elas por causa do mal-estar físico.

Ando irritado com o tratamento do caso Esmeralda, que depois de transformar um marginal em madre Teresa de Calcutá ainda tenta responsabilizar a única parte que cumpriu a lei pelos problemas da criança.

Ando irritado com os casos Casa Pia, por me aperceber da quantidade de sacanices que se estão a fazer à margem dos processos e de como a sociedade admite que se façam autênticos linchamentos morais apenas por vinganças pessoais de algumas personalidades de carácter duvidoso.

Ando irritado com o caso Maddie porque é óbvio que a força da política e do dinheiro suplantou a verdade e os esforços policiais para a descobrir.

Ando extremamente irritado porque nestas notícias há sempre um denominador comum que são as crianças, elas são a matéria-prima dos casos, no entanto, rapidamente desaparecem de cena para dar lugar a outros protagonistas e, até, beneficiários. E elas?

15/11/07

Mas porquê?

Ainda há dias fazia aqui referência ao blogue do Pedro Namora e a questão é sempre a mesma. Porque é que as lutas na nossa terra têm sempre que roçar o ordinário, o insulto gratuito sem detalhes, o ataque desenfreado sem ser fundamentado? Porquê? O que foi feito daquelas manifestações enormes em que as palavras de ordem eram sobre a a razão da manifestação, que quase sempre obtinham resultados. Hoje prefere-se chamar nomes aos ministros, dizer que os governos têm que cair, usar todos os impropérios que se conhece, etc... Será por isso que, normalmente, só quem se manifesta conhece as razões da manifestação? Falta muito para queimarem espantalhos e bandeiras como é comum nos fundamentalistas?
Isto vem a propósito do Blogue ACABPortugal.
Alguém me pode ajudar a perceber o que se procura com esta luta? É luta?

14/11/07

Os meus disparos. (02.12.2007)

Atirei os BangBalan para a Praça do Comércio no dia 2 de Dezembro (Domingo) onde vão fazer uma acção de rua a partir das 14 horas. Os BangBalan são um projecto que se dedica ao estudo de ritmos tradicionais da costa ocidental de Africa (Guiné Conakry, Senegal, Gambia, Burkina Faso, Mali, etc.), mais propriamente, ritmos originários das etnias Malinke e Sussu. Vem ver e ouvir.

Os meus disparos. (18.11.2007)


Atirei as LAS DIVAS (na foto), para os claustros do Ministério das Finanças na Praça do Comércio. Dia 18 de Novembro, domingo, pelas 16 horas. Gospel bem interpretado e que Lisboa vai gostar de ouvir e ver. Vem.

Dia de anos colectivo.

Hoje toda a gente faz anos, a minha guerra é conseguir lucidez para dar os parabéns a todos. A partir do terceiro a coisa complica-se muito.
E, para as contas ficarem certas, temos de somar as idas a centros comerciais, os quilómetros realizados, as análises de prospecção, os telefonemas a apalpar, etc...

13/11/07

Se há quem mereça...


Corria o ano de 1995, estávamos em 22 de Setembro. Chegámos ao hotel em Barcelona e no dia seguinte íamos tocar na Plaza Reial integrados no BAM'95. O tempo era pouco e por isso corremos a depositar as bagagens no quarto de hotel para podermos ir dar uma volta, jantar e ainda dar uma espreitadela na exposição sobre o BAM que decorria numa sala próxima. Como sempre, não nos importava o número de estrelas do hotel nem a sua funcionalidade. Era limpo , tinha cama e bar, logo era bom.
Passeámos pela cidade e conhecemos as cervejarias possíveis até as pernas ficarem preguiçosas e exigirem descanso. Regressámos para o hotel. Passámos o hall, agora já repleto de pessoas giras e , algumas, estranhas. Dirigimo-nos ao elevador e foi aí que percebemos que já não estávamos sozinhos. As paredes do elevador e depois as do corredor dos quartos estavam completamente riscadas, desenhadas, pinchadas. Tinham chegado os Da Weasel, acabadinhos de gravar o 1º CD que os media rotularam de 1º disco de hip hop de uma banda portuguesa - "Dou-lhe com a alma".
Era o começo de um grande caminho de um dos projectos mais fortes da nossa música. Estes, na altura para mim, sucedâneos do MRPP, têm, 13 anos depois, conquistado uma enormidade de seguidores e a forma astuta como driblam o mainstream possibilita-lhes a existência por muitos mais anos. E, até eu, já acredito que não interessa o que dizem as letras, interessa é como as pessoas as ouvem. Um grande abraço ao Puto Pac quebrador de corações, ainda vamos fazer mais bravas danças e, don't forget, na tua eu quero lá estar.

12/11/07

E a próxima maioria é....


Para mim, ao longo destes anos após 74, maiorias absolutas no parlamento sempre foram prejudiciais. Num país onde a intervenção cívica é diminuta e onde a substância das lutas populares é sempre o dinheirinho ou as regalias perdidas ou a perder, não é fácil governar. A maioria absoluta vem, de alguma maneira, facilitar o governo. Quando não há forma ou arte para convencer quem vota, utiliza-se quem já votou para seguir caminho. Foi assim com Cavaco é com Sócrates e voltará a ser com outro qualquer.
Desengane-se, no entanto, quem achar que o à-vontade do governo actual se deve simplesmente à maioria alcançada nas urnas. Para os portugueses em geral vive-se hoje a convicção que com Sócrates é mau mas que não temos melhor e por isso vivemos no mal menor. Dizer-se que o nosso 1º manipulou o canudo não colhe entre um povo iletrado, não lhe interessa, e não colhe entre os letrados porque grande parte deles procuraram ou viram procurar tornear dificuldades de forma idêntica. Dizer-se que o homem é arrogante não faz a mínima diferença aos portugueses, o Mourinho também era e eles adoram-no e a maioria até acha que Sócrates está igualzinho ao que era nos debates com o Santana na TV, em tempos idos. Estou, por isso, convicto que se houvessem eleições em Janeiro o PS voltaria a conquistar maioria absoluta sem precisar de fazer campanha. Quem legitima esta maioria, para o povo, é a oposição actual. Enquanto o CDS continuar apenas preocupado com a imagem do Paulo Portas, os comunistas e próximos não conseguirem resolver o sarilho em que se meteram com os professores e restante funcionalismo público e enquanto o PSD se permitir manter Marcelos, Pachecos e afins a protagonizar em seu nome, isto só vai dar PS. E, mais complicado do que isso, o PS pode passar os próximos anos apenas a apontar os podres desta oposição sem precisar de responder a coisa nenhuma, e a fazer comédia, e a inferiorizar sabendo que o povo gosta disso.
A coisa é tão preocupante que neste momento não descortino quem faça frente a Sócrates fora do seu partido. Neste momento só Manuel Alegre pode desfazer, em eleições, a hegemonia da maioria. E isto é algo de novo, só assemelhável ao PRD do Eanes e é muito preocupante.
Deviamos reflectir.

Afinal ele até ajudou os espanhois:

Un comentario de Carmen De Carlos, periodista del diario ABC de España, que cubrió la Cumbre.

11 Noviembre 2007


El Rey, Chávez y ZP


Hugo Chávez no lo sabe pero le ha hecho un favor enorme a media España (y a la otra media también). Los que presumían de republicanos comienzan a sentirse monárquicos y los enemigos irreconciliables como ZP y Aznar han terminado charlando por teléfono y echándose flores (no muchas pero con una basta).

Increíble pero verdad y todo gracias a Chávez que salió como un miura hasta que se topo con el Rey. Don Juan Carlos estaba tan harto de él como la mayoría de los Jefes de Estado de la Cumbre de Chile pero hizo lo que otros no se atreven: se echó al ruedo, paró, mandó, templó y silenció a la bestia bolivariana con cinco palabras: ¡¿Por qué no te callas?!.

Algunos creen que la frase, en la mente del Rey, continuaba con la preposición "de" seguida de "una" y un sinónimo de meretriz pero eso sólo lo puede saber Su Majestad y, la verdad, no creo que nadie se atreva a preguntarle. Lo único que se pudo comprobar in situ fue que dijo lo que dijo y que Hugo Chávez se lo había ganado a pulso.

Repasemos los antecedentes para entender cómo se llegó a esa situación. Chávez pensó que, como hasta ahora, podía seguir jugando a ser el chistoso de todas las reuniones . Sus motivos tenía porque en América Latina, quién más quien menos le debe algo ("petrocheques") y el que no tiene deudas pendientes con él, prefiere tenerlo de amigo antes que de enemigo.

Pero, al llegar a Chile, de repente, descubrió que nadie le reía las gracias. Salvo a la prensa, al resto de los mortales les importaba un bledo si iba o se quedaba en Caracas, si le parecía bien el lema de la Cumbre o un horror haberla bautizado con esa frase tan pretenciosa como "Inclusión social..." y bla, bla . El caso es que él no existía porque el follón, en esta ocasión, lo habían montado los argentinos y los uruguayos con la dichosa fábrica de celulosa.

Así las cosas el ex golpista decidió arremeter contra Aznar llamándole "fascista" y acusándole de ser cómplice de otro golpe de Estado, el de abril del 2002 que casi termina con su Presidencia bolivariana. Pensó que, como cuando llamó a Fox "cachorro del imperio", no iba a pasar nada. Se equivoco y se encontró con que ZP mandó a Moratinos a quejarse con Nicolás Maduro, ministro de Asuntos Exteriores de Venezuela. Como estaba avisado, Maduro dijo que lo tenían crudo porque le había entrado una fiebre terrible y que suspendía la entrevista. Esto, -es fácil decirlo a toro pasado-, era un aviso de lo que se avecinaba.

Hugo Chávez vió el cielo abierto para recuperar el protagonismo perdido. Aprovechó su turno en la sesión de clausura y redobló la apuesta de los insultos: Aznar además de fascistas pasó a ser "racista" y "serpiente" sin humanidad. La provocación causó efecto: ZP tomó el micrófono y le exigió respeto. Lo hizo, -de verdad- con talante y firmeza al mismo tiempo pero, como quería Chávez, había entrado al trapo.

Lo que no estaba en sus cálculos es que la puntilla la recibiría él y mucho menos de que el matador sería el Rey, el único en su vida que le ha dejado mudo. Al menos, por unos minutos.

11/11/07

Carinha lavada.

Tenho estado a pintar a casa, esta, e a colocar-lhe umas modernices. Já se nota, não nota? Fico preocupado comigo quando penso em fazer limpezas, arrumações e coisas do género.

08/11/07

Tenho pena.

O Sporting fez ontem um jogo fantástico com o A.S.ROMA que nos fez parecer que o clube de Alvalade já estava integrado nos grandes da Europa. Fez um excelente jogo mas não ganhou e não ganhou porque no último minuto apareceu aquele golo fortuito e porque o árbitro anulou um golo aos portugueses sem se saber porquê. Começa a ser hábito estas vitórias morais, foi assim com o Porto com aquele livre inventado e com o Benfica com aquele penalti que o árbitro auxiliar viu mas o principal não viu. Estas vitórias morais não são daquelas em que se joga melhor se merece ganhar mas o golo não entra, não, aqui joga-se melhor, merece-se ganhar mas o árbitro não deixa. É a pouca força que o clube tem nas instâncias do poder? Pode ser, mas não é isso que me chateia. O que me irrita mesmo é a forma como a comunicação social lida com o problema e isto é um assunto de longa data. Não me conformo que na área do desporto também se tenha que dar as notícias que o pagode quer ler. É que o desporto tem regras, tem suor, tem muito esforço.

Hoje e após o jogo com o Roma a notícia é que o Liedson não fica muito tempo no Sporting, tenho pena, tenho muita pena, não do Liedson mas da falta de um justo tratamento ao clube que terá, provavelmente, a melhor escola de futebol da Europa, que cria campeões e abastece os melhores clubes do mundo. Ao invés disso os media preferem dizer que está em crise, mesmo que utilize um orçamento inferior a 1/5 dos rivais da 2ª circular e esteja, ainda, em todas as frentes ao contrário dos encarnados.

06/11/07

O chefe da luta.


Há coisas que todos gostávamos de saber, há dúvidas que preferíamos não ter. A única forma ao meu alcance para ultrapassar aquelas duas interrogações, é procurar conhecimento, é questionar quem pode responder, é aprender, aprender sempre.

Há blogues que são assinados por pessoas que dizem tanta coisa, mas tanta coisa que, a meu ver, podiam ajudar muito dando respostas a quem sabe menos. Como é o caso do VALE A PENA LUTAR, pertença do Sr. Pedro Namora. Não entendo porque é que o Sr. Dr. que parece uma máquina falante, que mistura constantemente política com pedofilia, que ataca a torto e a direito quem lhe apetece; exclue todos os meus comentários do seu blogue. Acreditem que eu só faço perguntas e faço-o sempre com educação e respeito. Não tenho qualquer certeza para além de que há, seguramente, muitas crianças abusadas e gostava de me colocar na luta sem dúvidas nem alterações de consciência. Mas ele não deixa! A qualquer dúvida que aparece nos jornais ou noutros meios de comunicação o Sr. chama todos os nomes que lhe apetece a quem ousa duvidar. Não entendo, não entendo e começo a achar tal qual achava o ex-colega e amigo dele Adelino Granja, que este Sr. se transformou no pior inimigo das crianças da Casa Pia e por consequência de todos os abusados. Mas é claro que eu, tal qual todos os outros, sou também pedófilo, biltre, bandido e essas coisas. E mais, também já sei que se for provado que aqui há muito esquema encomendado é porque o polvo que hoje manda no país a tal o obrigou.

Tenho pena que certas lutas cá na terra se resumam a: ou se aceita o que o chefe da luta diz sem pestanejar nem questionar ou se é um bandido como os outros. Nem o Zé Staline faria melhor.

31/10/07

O PGR e as escutas.

E lá foi o Sr. PGR botar figura à AR, como tem feito nos jornais. Lá, em S.Bento, conseguiu atingir um protagonismo ainda maior mesmo sendo a sua intervenção recheada de palermices. O Sr. PGR tem o direito de dizer disparates, ah pois tem, mas também tem o dever de respeitar os portugueses. Ou o Sr. Pinto Monteiro está a armar-se em totó ou é totó e nenhuma das hipóteses é boa para nós. O Sr. foi falar nas escutas e nos aparelhos existentes no mercado para tal e falou disso com grande admiração e preocupação. Mas, caramba, este senhor é o Procurador Geral da República e como tal tem obrigação de saber muito mais e concerteza sabe. Imaginem os milhares de trabalhadores das empresas de telecomunicações ao ouvi-lo, acredito que se arrepiaram.
A verdade é que existem escutas em Portugal desde que há telefones cá na terra
e qualquer pessoa minimamente habilitada conseguia fazê-las. Um condensador, 2 pinças, um jack, um bocadito de cabo e um gravador era quanto bastava para interceptar uma linha telefónica analógica. Mas isso era há 20 anos, depois com as linhas digitais e as centrais telefónicas o carregar num simples botãozinho permite ouvir todas as conversas. Milhares de despedimentos, divórcios, chantagens, etc... devem-se a isso. O interessante é que essas centrais telefónicas têm de ser homologadas pelo ICP e por isso pelo menos as instâncias do poder deveriam saber disso e sabem. Mas mesmo que imaginemos que eles são todos muito burros, basta pensarmos nas multi-conferências para percebermos que se tecnicamente podemos colocar várias pessoas na mesma chamada, qual é a dificuldade em entrar numa conversação sem que ninguém dê por isso? Tudo se resume numa opção binária da programação da central, se colocarmos 0 não há escutas, se colocarmos 1 escutamos quem quisermos. É assim tão fácil e directo e quem é que acredita que os senhores do poder não sabem isto?

30/10/07

Family Frost?

Tinha de ver e vi. Vi, sofri e chorei. Como é possível que medíocres como a família Feist manipulem e subjuguem à sua incapacidade tantos amadores inocentes que só procuram uma oportunidade, um lugarzito?
Para os grupos ou cantores profissionais é um marco na carreira dar um concerto com uma orquestra e fazem-se parangonas disso, para os manos Feist não é mal nenhum pôr aqueles inocentes a interpretar Pedro Abrunhosa com violinos e oboés.
Imperdoável, mesmo, é ver gente como o Tozé que tem responsabilidades acrescidas no panorama musical português não fazer qualquer referência ao assunto. O programa chama-se Família Superstar e não Família Feist, acho eu.

A crise.

E de repente instituiu-se que o Sporting Clube de Portugal está em crise. Não me parece justo. O clubezito de Alvalade gasta muitos milhões a menos que os seus rivais, enche a Europa de craques, foi prejudicado na derrota com o F.C.Porto e no empate com o S.L.Benfica e em ambos os jogos foi jogar fora, tem tantas vitórias na Liga dos Campeões como o Benfica, ainda está na Taça da Liga sem benefícios como o seu rival teve na Amadora e no fundo só tem menos um ponto na BwinLiga que o SLB. Se ele está em crise os benfiquistas estão em quê?

Não há pachorra.

Confesso que estou a perder a paciência com os comentadores que poluem a nossa TV. Não consigo entender como é possível ouvir um sr. prof. universitário dizer a milhões que a escola passa a ser uma balda, por mais razões que ele tivesse e não tem. Constantemente enganado nas suas previsões e preterido nas suas escolhas este homem, ex-mergulhador no Tejo numa das suas derrotas que já são habituais, não se consegue distinguir dos ressabiados das tertúlias cor-de-rosa. Tenho pena. Pena pelo crédito que já lhe dei e pena pelos enganos que acaba por causar, ainda, em muitos distraídos.

Também o Rui Santos me faz pena, como me fazem pena todos aqueles que perdem precocemente a sua humildade em detrimento de outros interesses que mais tarde ou mais cedo os vão engolir. Este agora também maximiza as suas raivinhas particulares tornando os seus comentários desinteressantes e quase imperceptíveis, que procurará ele?

15/10/07

O rei vai nu.

Ele ia ter a espinha dorsal da selecção nacional a jogar no clube. Ele ia colocar o Benfica na ribalta do futebol europeu. Ele ia copiar os outros clubes apostando na formação. Ele ia construir a melhor equipa dos últimos anos.

Com ele na presidência já passaram 110 jogadores pelo SLB. Os treinadores sucedem-se uns aos outros e equipa nem vê-la. Ele elimina o Estrela da Amadora da Taça da Liga com um penalti que não existiu. Ele perde os dois jogos da Liga dos Campeões. Ele empata em casa com o Sporting porque o árbitro perdoou um penalti que o árbitro assistente assinalou. Ele consegue pôr técnicos, médicos e jogadores que passaram pela casa em conflito com o clube. Ele tem mais pontos de atraso em relação ao primeiro classificado do que o número de jornadas efectuadas - e foram 7.

Ele não é o presidente do grande Sport Lisboa e Benfica, ele é o REI. E como rei quer nomear sucessor e insiste... O pior é que o súbdito em questão nem se sente bem como súbdito nem lhe convém (não convém a ninguém que queira ter sucesso) ser escolhido pelo presidente que tem a mania que é rei.

Contudo eu tenho a certeza que o cartão de sócio do SLB dá descontos na Multiópticas ou na Optivisão ou noutra coisa qualquer que ajude os benfiquistas a não ficarem com cataratas perante tal alarvidade.

Para grande parte deles o rei vai nu.

O congresso.

E lá aconteceu o tal congresso. Acompanhei o que pude e senti de novo algo parecido às reuniões de apresentação dos anos escolares do 1º ciclo. Ninguém gosta totalmente do professor, a escola não é a melhor, o agrupamento é redutor, o ministério é uma seita de malfeitores, o futuro é uma incógnita. (Por acaso nunca percebi porque gostam os professores tanto de atormentar os pais.)
No PSD é igual: aqueles que criticam não estão presentes, os que ganham não ganham completamente, o congresso começa com "n" dúvidas e acaba com "n+1", enfim mais do mesmo. Curiosamente os discursos de hoje aproximam-se dos do MRPP de há quase 3 décadas , sendo que é o PS que ocupa hoje o lugar do social-fascismo, não percebo porque o Pacheco Pereira não alinha.
Vamos voltar a ter aquelas maravilhosas tardes de luta amigável entre Santana e Sócrates que por certo nos vão animar. Cheira-me, também, que alguns dos recém-despedidos do partido vão regressar, cheira-me que o Valentim encaixa bem nesta nova (?) liderança. E a propósito do presidente da C.M. Gondomar foi bonito vê-lo no concerto do Tony Carreira subir ao palco para dizer que aquele pavilhão tinha sido construído a pensar no artista cuja actuação ele interrompeu, encaixa ou não encaixa?

04/10/07

Os paineleiros.

Já lhes chamaram assim, depois chamaram-lhes muito mais coisas quase todas mais feias. Para mim são charlatães quase todos e costumo dizer que acabarão por se aniquilarem a eles próprios. Sousa Tavares e António Vitorino talvez demorem mais tempo porque, para já, estão-se nas tintas para aquilo, mas há dois cujas parecenças com a "tertúlia cor-de-rosa" são tão evidentes que não acredito que se mantenham muito tempo.
Refiro-me a Marcelo Rebelo de Sousa e a Rui Santos. É que nós sabemos que somos burros, está escrito em todo o lado, contudo quando descobrimos que nos querem fazer mais burros achamos que ficamos mais espertos de repente e não perdoamos.

PSL de novo.

Nem era preciso dizer-lhe porque ele sabia, mas o Pedrito foi informado que poderia ser interrompido se o "Special One" aterrasse entretanto. Protestou aquando da informação? Não. Em vez disso lembrou-se do manual das malandrices básicas para dar nas vistas (até eu já fiz isso). Azar seria, se o avião do Mourinho se tivesse atrasado. Curiosamente não deram ao assunto a importância desejada pelo advogado com o escritório mais arrumadinho que eu conheço. Entretanto diz que não sabe se aceita ser presidente da bancada parlamentar do PSD, foi você que o propôs?

A bola não entra.

Depois de não conseguir eliminar o Estrela da Amadora da Taça da Liga em jogo jogado. Depois de ter conseguido um empate sem golos com o Sporting com muitas ajudas. Depois de já levar 8 pontos de atraso na BwinLiga, o S.L.Benfica, com o melhor plantel dos últimos 10 anos, perdeu o seu 2º jogo na Liga dos Campeões. Camacho explica que o problema é a bola que não entra, eu acho que é o presidente que não sai.

26/09/07

Há mildio no laranjal.

O PSD vai fazer eleições internas, ninguém percebe para quê mas vai. Sendo um dos dois partidos que costumam alternar no poleiro, é legítimo pensar que ao vencedor lhe assista o direito de se imaginar como primeiro-ministro cá da terra. Ora aí é que tudo se complica, então se os candidatos se acusam mutuamente de batota, se nem dentro do partido se entendem, como é crível que não façam batota se a cegueira dos portugueses colocasse um deles a governar o país?
Mais preocupada ainda, deve estar a família do José Sócrates que começa a suspeitar que o homem vai lá ficar até à reforma. Também com opositores destes...

25/09/07

Detesto râguebi.

Detesto aquilo, como não curto futebol americano e odeio touradas e muitas outras coisas. E detesto aqui como noutro lado qualquer. Não curto nazis e por isso também não curto o Manuel Machado. Não é assim?
Porque razão haveria de achar graça àqueles "grus" que ainda por cima não ganham a ninguém? Porque são portugueses? Porque cantam a portuguesa como o Manuel Machado e seus muchachos? Porque são amadores financiados pelos papás?
Se soubessem quantos amadores existem neste país, cuja qualidade é incomensurável...

A grande tristeza.

O guitarrista de referência de uma das bandas, que recebeu disco de platina, participantes no tributo aos Xutos: XX Anos XX Bandas, é hoje guitarrista do Duo Miguel e André. Magoa, caramba...

Se eu fosse escaravelho...

...haveria de caminhar incessantemente até que alguém me pisasse. Nunca me esconderia dos pés alheios.