05/02/09

Qual aeroporto, qual TGV?

Camilo Lourenço
1,8 mil milhões? E não vai acontecer nada?
camilolourenco@gmail.com

Aos poucos começam a conhecer-se os verdadeiros contornos da tragédia chamada BPN. Ontem Norberto Rosa, administrador da instituição, deu mais uma achega para se perceber o resultado da mistura entre supervisão (totalmente) ineficaz e compadrio político. As perdas já ascendem, segundo Rosa, a 1,8 mil milhões de euros (se calhar não fica por aqui). Sim, caro leitor, milhares de milhões. Surpreendido? Talvez valha a pena reler o que aqui se escreveu nos últimos meses sobre o assunto, questionando os números avançados pelo ministro das Finanças. Chegados aqui, há várias perguntas a fazer: vai mesmo haver culpados? O banco central ainda pensa que pode sair incólume desta trapalhada (como é que se escondem operações, anos a fio, que provocam perdas de 1,8 mil milhões?)? Dias Loureiro pode continuar a dizer que não sabia de nada, não ouviu nada e não viu nada enquanto foi administrador? Nem mesmo aqueles "zunzunzinhos" que até eu ouvi - e que motivaram a capa da "Exame" de Março de 2001 (a tal que o incomodou tanto ao ponto de ir falar com o Banco de Portugal)? Não valia a pena ter liquidado o banco e cobrir os depósitos? Quais as consequências deste descalabro no "rating" da CGD? O que vai acontecer ao auditor do BPN? Alguém vai pedir desculpa ao contribuinte, que terá de arcar com este fardo (com 1,8 mil milhões a CGD comprava um banco em Espanha…)? Responda quem souber.

Camilo Lourenço
1,8 mil milhões? E não vai acontecer nada?
camilolourenco@gmail.com

Claro que não vai acontecer nada, a não ser uns boatos e umas suspeições sobre quem podia fazer alguma coisa, na tentativa de que calem o bico e estejam quietinhos. E é claro que a culpa vai ser de toda a gente menos de quem prevaricou. Esses já estão tratadinhos para o resto da vida. Então não era melhor gastar este dinheirinho no Aeroporto (metade já estava pago) ou no TGV? E os ilustres Ferreira Leite, Cavaco Silva, Dias Loureiro...não conseguem culpar mais ninguém para além do Banco de Portugal, Governo e afins? É como se o objectivo fosse roubar e a culpa fosse sempre de quem não deveria permitir o roubo. Vou comprar um passa-montanhas.

1 comentário:

bcpcrime@gmail.com disse...

O problema mais grave é o Millennium BCP...
Este é que nos destrói...
Está completamente oco por dentro e seus principais accionistas "tesos" com seus créditos descapitalizados...
O BCP tornou-se um arrastão. A sua desvalorização em Bolsa tornou dezenas de empresas e investidores reféns de bancos que lhes fiaram crédito para investir no Millennium. Joe Berardo, Manuel Fino, Teixeira Duarte, Filipe de Bottom, João Pereira Coutinho, João Rendeiro e outros notáveis investidores ficaram hipotecados. A maioria já reestruturou as suas dívidas, ganhando fôlego com carências do pagamento das dívidas. Mas isso é um socorro, não é uma solução.
O BCP já enviou a sua defesa para a CMVM, que acusa a instituição de, entre outras coisas, ter prestado falsa informação e de ter usado offshores para compra de acções próprias BCP sem comunicar às autoridades.
bcpcrime.blogspot.com