23/07/08

Vou de férias.

A azáfama é muita, é sempre muita, quando me preparo para muitos dias fora daqui. É nesta altura que eu percebo quantas coisas deixo ficar por fazer no momento certo e que me obrigam, agora, a andar a correr à toa. É claro, que tenho sempre a sensação que ainda me falta qualquer coisa.
Alguns casos resolvi convidando alguns amigos a irem-me visitar no trilho de Martim Codax.
Vamos ver como se comporta o "e-escolas" em roaming, disso dependerá a minha assiduidade ou não aqui no blog.
Beijinhos e abraços.

17/07/08

Grande Entrevista.

Estava eu a remoer o discurso da Drª. Manuela Ferreira Leite na jantarada com os companheiros de partido, e a pensar que não deve haver nada mais triste do que ter de falar em vitórias quando a derrota já está anunciada... quando a RTP1 veio salvar tudo. Era a bela Judite e o "olhos na mesa" Sr. Luís Filipe Vieira e a exacta percepção que ele vai sair derrotado primeiro. Ficámos a saber que o Sr., mesmo que a UEFA assim o decidisse, não queria que o Benfica entrasse na Liga dos Campeões. Também fomos informados que os adeptos de todos os clubes têm de agradecer ao clube da Luz a sua condição de adepto (confesso que esta não percebi mesmo). Ficámos, por fim, a saber que o Sr. Luís é gestor não é homem dos pontapés na bola, isso é com o Rui que é Director do futebol. Isto é: se este ano a coisa voltar a correr mal a culpa é do outro.
Dantes por muito menos às portas do estádio ficavam os pedaços de cartões de sócio rasgados, agora ficam cinzas de autocarros queimados tudo a bem da dignificação do futebol. Ai.

Está tudo explicado.

Nos próximos Jogos Olímpicos, a medalha vai para quem usar uniforme vermelho? Não necessariamente, mas investigadores da Universidade de Münster, na Alemanha, mostraram que usar vermelho pode influenciar a decisão dos júris.

Norbert Hagemann e os seus colegas mostraram a 42 júris excertos de gravações de partidas de taekwondo, uma arte marcial em que um dos jogadores tinha uniforme azul e o outro vermelho.

Cada júri avaliou cada vídeo e deu pontos aos jogadores pelos ataques que fizeram. Depois, alteraram a ordem dos vídeos e trocaram a cor dos uniformes dos jogadores digitalmente. O jogador que vestia vermelho passou a “vestir” azul, e vice-versa.

A equipa de cientistas descobriu que os júris deram 13 por cento mais pontos aos jogadores que tinham o uniforme vermelho, mesmo quando eram as mesmas partidas. Nos jogos de equipas, este enviesamento deverá ter um impacto menor. Mas nas partidas que são decididas por júris, a cor poderá ter uma influência importante.

“Esta é uma experiência bem feita. Reforça o facto de a cor ter influência no resultado dos jogos desportivos”, disse à "New Scientist" Robert Barton, co-autor de um artigo de 2005, que já sugeria que a cor vermelha poderia estar associada a comportamentos de dominância ou de agressão no mundo do desporto. Segundo o investigador, pode haver uma atribuição de dominância subconsciente quando se altera as cores dos uniformes.

O boxe, a luta greco-romana e o taekwondo são jogos que normalmente usam as cores azul e vermelho nas protecções e uniformes. Estas modalidades vão estar nos Jogos Olímpicos em Pequim.

Apesar de no taekwondo se usar um sistema electrónico que ajuda os júris a contar os ataques, Hagemann dúvida que o sistema seja suficiente para mitigar os efeitos das cores. “Esses sistemas não são utilizados no boxe e ainda assim, não alteram qualquer benefício psicológico que possa ser dado aos atletas que estejam a usar vermelho”, explicou o investigador à "New Scientist".

O artigo original dos cientistas alemães será publicado pela revista "Psychological Sciences", na sua edição de Agosto. (do Público)

15/07/08

Disparate do dia

«O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, afirmou ontem, no concelho do Porto Moniz, que é ele a "verdadeira oposição" ao Governo da República."Não chamo oposição àqueles que, quando o Governo diz que é verde, dizem que é verde escuro. Chamo oposição quando o Governo diz que é verde e eu digo que é vermelho, salvo seja", disse Jardim, no âmbito da 53ª Feira do Gado do Porto Moniz.» (Diário de Notícias)

Vamos fazer férias?

Queremos pão em vez de betão, ou não?

João Miguel Tavares

jornalista

jmtavares@dn.pt


O betão anda um bocado na mó de baixo. Desde os tempos de Cavaco Silva e Ferreira do Amaral que a expressão "política do betão" virou insulto, como se a viga e o cimento fossem feitos com as ossadas da classe baixa. Por cada pilar erguido, um pobre falecido. E como nestas coisas da política portuguesa PS e PSD vão mudando de opinião consoante a posição que ocupam no poleiro, hoje são os socialistas que tecem loas às obras públicas e os sociais-democratas que desconfiam do poder da viga para alavancar Portugal.

Tirando considerações sobre a incapacidade de os homossexuais procriarem, a questão das obras públicas tem sido o tema-fetiche do PSD, com o qual o Governo é martelado cada vez que põe a cabeça de fora. Devo dizer: parece-me no mínimo bizarra a estratégia, sobretudo tendo em conta a imagem séria e antipopulista que Manuela Ferreira Leite se esforça por passar. É evidente que investimentos de centenas de milhões de euros têm de ser analisados ao pormenor e que convém não pontapear para daqui a dez anos o pagamento de compromissos actuais. É igualmente evidente que o Estado tem o dever de proteger quem, nas franjas da sociedade, cai em níveis dramáticos de pobreza. Mas nem o Estado tem a obrigação de servir de eterna almofada a choques que em boa medida estão fora do seu controlo (o sobreendividamento é, em primeiro lugar, uma responsabilidade das famílias, e não do Ministério das Finanças) nem o investimento em infra-estruturas está necessariamente desligado do combate à pobreza. Afinal, uma auto-estrada até Bragança faz mais pela riqueza da região do que despejar subsídios sobre quem lá vive. É uma daquelas coisas que já os romanos sabiam.

Ora, é a atenção a este género de subtilezas que se exige a quem quer governar o País. Exactamente porque fazer política não é apenas fazer contas, ver o PSD insistir que o TGV é um luxo que não podemos pagar é, no mínimo, desconcertante. Se está a ser feito um esforço conjunto dos países da UE para a criação de uma rede europeia de alta velocidade, que sentido faria ela parar em Badajoz, deixando mais uma vez Portugal na periferia - e logo numa altura em que o petróleo disparou para a estratosfera? O facto de o desenvolvimento do país não poder estar sustentado nas obras públicas não significa que de repente se feche a porta a todos os estaleiros pendurando a placa "agora vamos cuidar dos pobrezinhos". Se Manuela Ferreira Leite se quisesse transformar na Manelinha das Feiras, eu poderia entender a linha de pensamento "queremos pão em vez de betão". Mas, propondo-se como uma alternativa credível a Sócrates, espera-se mais de um programa de oposição do que propor análises custo-benefício das obras públicas e dizer que tem muita pena e que quer muito ajudar quem está a sofrer com a crise. Manuela Ferreira Leite está a precisar de férias. De férias e de novas ideias.

13/07/08

O rock'n'roll nunca morrerá.

Foi assim algo que não se explica muito bem, é a 3ª vez que vejo o mestre e de cada vez abalo mais, sinto mais, compreendo melhor como sou pequenino. Preferia ouvir o "Everybody knows, this is nowhere" e o "After the goldrush" completo, mas só porque sim. Lembrei-me de filmes que nunca mais acabam e de como eu gostava que aquele momento não terminasse, nunca. Vinguei-me dos anos em que ouvi: -Vais pôr Neil Young de novo? Vinguei-me tanto que até é pecado.

De resto foi Gogol Bordello, que, inicialmente, entresteci porque se deixaram ir no esquema dos Mano Negra, sem o saberem fazer tão bem. Refiro-me ao não deixar a música parar. Os Mano Negra fazem isso bem mas usam muito mais tecnologia, o que torna tudo muito mais fácil.
O acordeonista, para quem é português e conhece o instrumento, é fraquinho e não foi por falta de uma tecla.
Eugene é superior, não precisa de se importar com o tom porque ele próprio é um espectáculo que só não brilha sozinho porque o violinista é excelente.
Uma hora de concerto, sempre a melhorar. Ainda pululam dentro de mim.

A surpresa foi Xavier Rudd, sussurrei Fausto e Zeca Afonso e estarreci muitas vezes. A música é uma coisa tão bonita! Obrigado Xavier.

Isto, também, é rock'n'roll .



O conflito que irrompeu num concerto dos Rádio Macau está a ser divulgado no YouTube. O episódio aconteceu há um mês, em Vila Nova da Barquinha, e teve como protagonistas a vocalista Xana e o guitarrista Flak, que se pegaram quando a banda tocava "O Anzol".

Flak rasteirou Xana, que caiu no palco perante a risada do público, mas, quando se levantou, a cantora respondeu com uma bofetada e saiu imediatamente de palco.

"Isso teve a ver com a autorização dada a uma instituição bancária para o anúncio do Banco Santander Totta que perturbou o relacionamento entre os membros da banda. "Por princípio, eu sou contra isso", disse. Nesse concerto, eu, zangada e cheia de adrenalina por não ter concordado com isso, alterei até alguns versos de ‘O Anzol’ e disse, entre outras coisas, ‘Não mordam o anzol às petrolíferas’", recordou. Flak criticou-a e acabou por a rasteirar. "Ele já me pediu desculpa e eu reconheço que deveria ter feito concerto de forma profissional e já pedi também desculpa."

Entretanto, o clip do incidente patente no YouTube (Rádio Macau, a Bronca) já foi visto mais de 2500 vezes. "Já conversámos, passou algum tempo e a coisa está resolvida", adiantou Xana. Segundo a vocalista, os Rádio Macau enviaram já um pedido de desculpas a Vila Nova da Barquinha.

Jose Luis Feronha in Correio da Manhã

05/07/08

Sume-te careca...

Futebol

Apito Final: Conselho de Justiça da FPF suspende Gonçalves Pereira "preventiva e imediatamente"
05.07.2008 - 08h52 Lusa

O presidente do Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foi "suspenso preventiva e imediatamente" pelo órgão, anunciou um dos cinco conselheiros que concluíram hoje a reunião sobre o processo Apito Final sem a presença de Gonçalves Pereira.

Álvaro Batista explicou que a decisão de suspender Gonçalves Pereira resultou de uma deliberação dos cinco conselheiros "fundamentada do ponto de vista legal", por considerarem "nula a decisão de encerramento dos trabalhos" pelo presidente do CJ, às 18h00 de sexta-feira.

Após três horas de reunião, o órgão de justiça federativo iniciou a apreciação dos recursos do processo Apito Final, mas, antes de os relatores terem apresentado os acórdãos, Gonçalves Pereira anunciou a aceitação dos pedidos de impedimento do conselheiro João Abreu, apresentados por Boavista e FC Porto.

"Com um despacho exclusivamente proferido por ele, Gonçalves Pereira declarou-o (João Abreu) impedido de intervir nos processos do Boavista e de Pinto da Costa. Foi interposto recurso e proposto ao presidente que reparasse o despacho, por se considerar ilegal. Gonçalves Pereira recusou discutir o recurso e revogar a decisão", explicou Álvaro Batista.

O conselheiro, que leu a curta declaração na presença dos restantes quatro membros do CJ, adiantou que "foi proposta a instauração de um processo disciplinar a Gonçalves Pereira", após a qual o presidente deu por encerrada a reunião e abandonou a sala.

"Os membros presentes, em número de cinco, por considerarem nula a decisão do encerramento dos trabalhos por parte de Gonçalves Pereira, por se destinar a impedir a tomada de deliberações, revogaram o despacho e prosseguiram com o procedimento disciplinar instaurado ao presidente, suspenso preventiva e imediatamente", explicou Álvaro Batista.

Em declarações à Agência Lusa, Gonçalves Pereira qualificou de "encontro informal de conselheiros" a continuação da reunião na sede da FPF, em Lisboa, que também não contou com a presença do vice-presidente do CJ, Elísio Amorim.

"Decretei, contrariado, o fim da reunião porque não estavam reunidas as condições mínimas para o seu funcionamento. O que se está a passar agora é um encontro informal de conselheiros e não pode nunca ser apelidado de reunião do Conselho de Justiça", disse Gonçalves Pereira, ainda antes de ter sido anunciada a suspensão.

O presidente do CJ alegou que o fim prematuro da reunião foi motivado por "dois pedidos de impedimento do FC Porto e Boavista" em relação a João Abreu, que Gonçalves Pereira acolheu, o que motivou a contestação do conselheiro e "mais alguns que se solidarizaram".

"Considerei procedentes os pedidos de impedimento e notifiquei o conselheiro João Abreu, ao abrigo de uma competência exclusiva que possuo", revelou Gonçalves Pereira, para quem "João Abreu está impedido no que respeita a este processo", caso seja analisado em futura reunião do CJ.

O CJ da FPF confirmou a despromoção do Boavista à Liga de Honra e manteve a suspensão de dois anos a Pinto da Costa, no âmbito do processo Apito Final, penas que tinham sido impostas pela Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional a 9 de Maio.

04/07/08

Second Life.

O Second Life que tanto sucesso faz hoje na WWW, é praticado há muitos anos pelos alfacinhas. Aproveitando os santos populares o pessoal transforma as ruas onde está, naquilo que querem delas. Os electricistas são engenheiros, os bancários banqueiros, as domésticas são donas de bar, os desempregados são cozinheiros, encenadores, empregados de mesa e costureiros, os professores são arquitectos, etc... Depois enfeitam os caminhos chamando-lhes ruas, abrem tascas em cada largo, ensaiam marchas, tornam-se fadistas. Durante um mês são empresários, donos, artistas, namorados e empreendedores. Quando o mês chega ao fim, os lisboetas já sabem como ainda vão ser melhores no ano que vem.




Mais uma do PC?

A Assembleia Geral do Benfica terminou há minutos, por ordem do presidente da Mesa, devida a «falta de condições» para que continuasse.

Depois de o orçamento de contenção para as modalidades ter sido aprovado, os sócios puderam colocar questões ao seu critério e Luís Filipe Vieira foi alvo de insultos. Pouco depois, era fechada a sessão, devido ao ambiente quente que se verificava no Pavilhão do Estádio da Luz.

Sem prestar qualquer declaração, Vieira preparava-se para abandonar as instalações quando foi confrontado e empurrado por alguns elementos das claques mais exaltados. Houve algumas tentativas de agressão, de acordo com o que o Maisfutebol apurou junto de fonte próxima da direcção, obrigando à intervenção dos elementos da segurança presentes no local. Luís Filipe Vieira chegou a ser pontapeado no meio da confusão, embora não tenha sofrido consequências de maior com tais actos.

O presidente dos encarnados foi escoltado por três polícias e pelos restantes membros da direcção até ao exterior. Vieira apressou-se a sair das instalações seguido por uma multidão cada vez mais numerosa, refugiando-se no parque de estacionamento, onde os adeptos já não conseguiram entrar. Rui Costa ainda ficou à conversa com os adeptos, tentanto acalmar os mais exaltados. Já no exterior, o responsável pelo futebol e administrador da SAD esteve vinte minutos depois do final da AG a responder às muitas questões colocadas pelos sócios, que ainda se mostravam bastante irritados.

Durante a reunião magna, segundo a mesma fonte, vários sócios tinham pedido a demissão do presidente, questionando algumas das suas declarações ao longo dos últimos meses bem como a segurança no Estádio da Luz.

(Site Maisfutebol)

01/07/08

Vão-se lixar!

Andei 20 anos a levar tareia dos positivos. Sempre que abria a boca para protestar contra aquilo que hoje é corrente, lá começavam eles a cascar chamando-me negativista, revolucionário (a pensarem nos terroristas) e outros piropos que não dando tusa também não causam impotência.
Quando me convidam para botar palavra, chamam-me sempre à parte, no fim, para dizer que não era preciso ir tão longe, mesmo quando falo de segurança no Cais do Sodré ou de ambiente na Costa da Caparica.
Curiosamente estes "meus" descobriram agora todas as maleitas de que sempre enfermámos e acham que a culpa é, pois claro, do Sócrates.
Vão-se lixar!