31/01/08

Não perdem uma, são Incorrigíveis.

Cuidado, não pises.

Já arranjaram WCs ao ar livre para os bichos, já inventaram uns carrinhos para limpar as porcarias deles, já colocaram uns saquinhos e luvas de plástico para apanhar os dejectos, mas as ruas de Lisboa, em relação à matéria fecal dos canídeos, não mudou nada.
Andar pelos passeios da cidade com uma quantidade de putos pequenos é certo e sabido que nos vai obrigar a usar o pauzinho (os dos gelados dão jeito) para limpar o sapatinho do menino. Os pais com miúdos pequenos sabem do que estou a falar.
No entanto, todos nós sabemos que os cães têm de fazer as suas necessidades e, também, sabemos que a cidade não tem muitos espaços onde os cachorros possam descarregar sem incómodos para os cidadãos. Mas se não há deviam inventar não era? Até agora os donos de cães mais conscienciosos, para não sujarem os passeios levam os bichos a obrar nos jardins e parques infantis, o que torna, para as crianças e pais, a emenda pior do que o soneto. Não podem criar uma ASAE para este problema?

30/01/08

Às vezes ajudar até dá jeito.

(clica em cima para ampliar)


Às vezes temos coisas que nos incomodam, mas que são tão boas, gostamos tanto que não somos capazes de deitar fora.

Mamã olha um miau tão grande....

Pelas 6:30 horas desta linda manhã de quarta-feira, dois tigres fugiram de uma caravana do circo CHEN e andam a passear-se por Azambuja. A GNR pede aos moradores para terem calma que eles estão a tratar da ocorrência e que os bicharocos são domesticados. Domesticados? Sim, sim...

29/01/08

Remodelações ministeriais.

Foi-se o Correia de Campos, era de prever que o homem nem aguentasse tanto, a pobre que vem a seguir não vai lá estar tanto tempo. Ainda há SAPs e Urgências para fechar, comparticipações em medicamentos para diminuir e muitas outras artimanhas para poupar dinheiro. Dinheiro é o que não há e esse vai ser sempre o problema, é esse o problema. Provavelmente as coisas vão acalmar um bocadinho, enquanto esta Ana Jorge arruma as gavetas do gabinete.



Isabel Pires de Lima, também foi à vida. A Cultura dá saltinhos de contente e os artistas voltam a sonhar com refeições razoáveis. A Isabel esteve lá mas não foi ministra, passou pelo Governo apenas. Vamos esperar que o José Pinto Ribeiro (é impressão minha ou cada vez há mais Pintos no poder?) seja o Ministro da Cultura que já nos falta há largos anos.

Dói-me a barriga.

Dói-me a barriga, ou se não é a barriga é qualquer coisa, mas dói-me e estou com sono. Dores de barriga ou de qualquer coisa e sono são uma ligação terrível, irritam-me, põem-me estúpido e exigente. Ainda não acabou o primeiro mês do ano e já encontrei a pior imagem do meu blog em 2008, é aquela do último post. Acho que não a vou deixar lá ficar muito tempo, mas queria contar aquela estória. Estória dá erro na verificação ortográfica e não devia dar, vou refilar com os meus amigos da computação linguística.

Fiquei a saber que os meus bombeiros têm 2 desfribilhadores há 3 anos e que não estão autorizados a usá-los, fui lá falar com o Levezas e ele mostrou-mos. São lindos e falam e tudo. O Levezas garantiu-me que ele e mais 2 bombeiros estão completamente aptos para os utilizarem, eu acreditei porque achei que até eu depois da demonstração era capaz de o fazer. Então porque estão proibidos de o fazer? E porque é que têm 2, um não chegava?

A Comissão Nacional de Protecção de Dados tem um site quase útil, cliquem aqui e vão ver, aproveitem e vejam o blog deles que está lá e que nos arranca uns sorrisos.

Eu não queria que o Dr. António Marinho nomeasse Joaquim Ferreira do Amaral, Carlos Horta e Costa, Telmo Correia, Luís Nobre Guedes ou Joaquim Pina Moura, esses já nós sabemos e ansiamos para que a justiça actue. Eu queria que ele nomeasse aqueles que nós ainda não sabemos.

Eu queria que o Carnaval fossem só aqueles 3 dias que aí vêm e não todos os dias mais aqueles. Até porque cada vez é mais difícil reconhecer os dias do Entrudo.

28/01/08

Mania de perseguição.

Há uns anos atrás fui com a banda a um programa de televisão chamado, se não me engano, Buéréré. A coisa era gravada nos estúdios da Valentim de Carvalho em Paço de Arcos. Os camarins ficavam num piso superior ao cimo de umas enormes e íngremes escadas metálicas, abria-se a porta e entrava-se num hall que tinha à esquerda um sofá e uma televisão e no fundo à direita uma pequena mesa onde estavam as sandes, os rissóis e os croquetes. Debaixo da mesa estavam as bebidas.
Nesse dia cheguei cedo, porque estava a dar formação para aqueles lados, e vi que estava uma moça sentada no sofá. Como não a conhecia disse o meu boa tarde sumido e dirigi-me para o corredor dos camarins à procura do meu. Daí a algum tempo veio uma pequena ter comigo dizendo-me que o Ediberto Lima (produtor do programa) me queria dar uma palavrinha. Parei de ler e fui ter com o Edi e qual não foi o meu espanto quando ele me diz que a Ana se tinha queixado que eu não a tinha cumprimentado quando cheguei. Expliquei que quando entrei só lá estava uma miúda de cabelos aloirados e olhos verdes e que não tinha visto, ainda, mais ninguém. Era ela, diz-me o Ediberto, pintou o cabelo e pôs lentes coloridas mas vê-se bem que é ela. Ainda estive algum tempo a fazer perceber que sou incapaz de guardar visualmente o aspecto total das pessoas e que para mim aquela não era a Ana Malhoa e que não tinha qualquer outra razão para não lhe ter ido dar um beijito. Mesmo assim não me safei, na gravação do programa e após a música era feita uma pequena entrevista e o meu castigo foi ser entrevistado pela vaca (um peluche falante que coadjuvava a Malhoa) em vez de ter sido pela apresentadora.

Isto vem a propósito da miúda, agora mulher, se estar constantemente a queixar das mentes perversas que a atacam, por causa das fotos que o marido coloca no site oficial da rapariga. Curiosamente nunca ouvi falar disso e fui hoje pela primeira vez visitar o dito site para arranjar uma imagem para este post. Mania da perseguição, isso é que é, e já com uns anos largos de estadia.

António Marinho

Advogado, jornalista, 56 anos, conhecido por aquela frontalidade que pica, o Dr. António Marinho e Pinto conseguiu chegar a Bastonário da Ordem dos Advogados. Ao contrário do que é comum o novo Bastonário não refreou o seu discurso e continua, hoje, a apontar o dedo a tudo aquilo que julga ser errado. Tudo isto seria aplaudível se os apontados pelo seu dedo tivessem nome. António Marinho está exactamente a fazer aquilo que tanto criticou, nas suas imensas manifestações públicas, acusa, dá tópicos mas não nomeia.
Vai nomear, digo eu que sou um crente na verdade e não me conformo que haja medo na sociedade democrática que todos, alegremente, defendemos.

Não há como comentar.

Conselho de Segurança da ONU não chega a acordo sobre Gaza

NOVA YORK (AFP) — As tentativas do Conselho de Segurança da ONU de aprovar uma declaração que exija o fim do bloqueio israelense à Faixa de Gaza e de lançamento de foguetes contra o Estado hebreu voltaram a fracassar nesta sexta-feira.
Após árduas negociações durante todo a sexta-feira, o embaixador da Líbia na ONU, Giadalla Ettalhi, afirmou que enviará o texto a seu governo, o que atrasará para a próxima semana uma eventual aprovação da declaração.
Ettalhi, que preside este mês o conselho de 15 membros, afirmou que, após consultar os embaixadores árabes na ONU, tem alguns problemas com o texto, que já foi aceito pelos outros 14 membros do conselho.
Ele aguarda instruções de seu governo até segunda-feira e depois disso convocará uma reunião do conselho para tomar uma decisão.
Os Estados Unidos, que haviam apresentado as principais objeções ao texto, consideraram o último rascunho "equilibrado".
Os habitantes de Gaza estão submetidos desde 17 de janeiro a um bloqueio israelense, o que provocou a falta de combustível e produtos de primeira necessidade.

Comentário Boomerang: É muito difícil tecer comentários sobre as atrocidades cometidas por Israel, apoiados pelos seus padrinhos, sobre este povo. Mais difícil ainda é constatar que há quem apoie estas acções criminosas. As reportagens da Sky News sobre o tema roçam diariamente o ridículo, mostrando um povo esfomeado a forçar a entrada no Egipto para procurar comida e comentando as imagens chamando-lhes terroristas, suicidas, desestabilizadores. E Deus existe?


26/01/08

Diz a gaivota...

Se eu soubesse pensar e depois transmitir o que penso do que vejo daqui, de cima, não sei se vocês iriam gostar.

25/01/08

Cogitações sobre o caso do Castedo/Favaios/Alijó.


Se os bombeiros só têm obrigação de interagir com o INEM quando existe um protocolo, porque raio têm lá as ambulâncias estacionadas?

Se o pedido de socorro era para um homem, presumivelmente, morto, a que propósito é que o bastonário da Ordem dos Médicos responsabiliza o Ministro pelo fecho dos SAPs? Os SAPs ressuscitam? Ou se houvesse SAP os bombeiros iam mais depressa?

Se o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) ligou para os bombeiros de Favaios e foi atendido no telemóvel do bombeiro de serviço, então a chamada foi encaminhada para o telemóvel. Onde estava o bombeiro?



Quando eu morrer estão lixados.

Já foi uma referência na política nacional e internacional. O que dizia era levado em conta pelos que gostavam dele e pelos outros. Adorava transformar os conhecidos em amigos e ostentava essas amizades em todas as ocasiões.
Ultimamente fez algum chi-chi fora do penico e, espero eu, começa a aproximar-se dos profetas da desgraça da História.
A última profecia vem-lhe de umas reuniões que teve com alguns dinossauros da política mundial que preconizaram a aproximação de uma crise similar àquela pós segunda guerra mundial. A verdade é que Prodi, Brown, Sarkozy, Sócrates, Merkl e etc, estão a passar por um mau bocado. Mas eu prefiro achar que o Soares entrou naquela fase do: quando eu morrer vocês estão lixados!

24/01/08

"Quem mexe no mel lambe-se!"

No Sábado à tarde a Brigada de Trânsito da GNR apreendeu a dois bacanos 3 telemóveis, 120€ em dinheiro e mais de 70g de heroína e cocaína. Levaram o material apreendido para o quartel de Albufeira e guardaram-no num armário fechado a cadeado. Na segunda-feira quando os guardas chegaram ao quartel o cadeado estava fechado, mas dentro do armário só estavam os euros e os telemóveis. A droga voou.
Os homens da casa andam há 3 dias a tentar encontrar a droga desaparecida, misteriosamente dizem eles. Qual é o mistério? O mesmo que se passa na esquadra de investigação da Amadora ou aquele dos 94 mil euros da PJ?
Para mim o mistério resume-se a um dito popular que a minha avózinha dizia muito: "Quem mexe no mel lambe-se!"
Mas querem saber o que diz o Sr. José Alho, dirigente da Associação Sócio-Profissional Independente da Guarda? Então tomem lá e pasmem-se: "...este caso só demonstra que o Ministério da Administração Interna deveria investir em cofres mais sofisticados e codificados." Haja Deus.

23/01/08

935

Um molho de jornalistas norte-americanos deu-se ao trabalho de ir rever as declarações de George W. Bush entre os anos 2001 e 2003 e descobriu que o senhor disse 935 mentiras sobre o Iraque.
935 mentiras que fizeram milhares de mortos e estropiados já contabilizados e que farão mais outros milhares nos próximos anos.
Com isto fico sem me lembrar porque enforcaram o Sadam Hussein e mais uns quantos e sem perceber o que é que o Hugo Chavez, Fidel Castro ou o Yasser Arafat têm ou tinham de mal. Provavelmente, e é isso que me assusta, também tenho de reflectir sobre o Bin Laden. Sobre o Bush já reflecti tudo.

22/01/08

Não havia necessidade...


Paulo Bento cantado por Valete

Afinal que lei é esta?

Há muito tempo que digo que gostaria de deixar de fumar, já fiz algumas tentativas mas ainda não chegou a minha vez. As ajudas que aparecem poderão ser úteis para quem nunca tentou mas ainda não resultaram comigo.
Quando apareceu a lei anti-tabaco eu concordei, acho mesmo que os não fumadores não devem estar sujeitos a uma exposição involuntária ao fumo dos fumantes. Ontem assisti durante horas ao senhor director geral da saúde a falar e fiquei muito preocupado. Comecei por perceber que a lei não é anti-tabaco mas anti-fumadores e isso já não posso concordar, aceito e desejo que se protejam os não fumadores mas não posso aceitar que se persiga quem fuma.Percebi, também, que o tabaco é apenas um começo e que a seguir se podem perseguir os obesos, os bebedores, os que falam alto, os que andam com as costas tortas, sei lá ir perseguindo até à etapa final que será perseguir quem estiver doente. Numa visão futurista diria que hoje são os fumantes que se sentem infractores e amanhã serão todos os seres que estiverem doentes, pois a doença será sempre por erros cometidos.
É claro que no debate de ontem ninguém foi capaz de explicar como se vai aplicar a lei, como já começa a ser costume, nem, pasme-se, ninguém foi capaz de concordar com a letra dela. Ou seja alguém legisla mas não é capaz de escrever a lei que fez de forma inequivoca e que não cause dúvidas naqueles que têm de cumprir essa lei. Afinal o problema da interpretação do português não se resume aos meninos/as do ensino básico como nos querem fazer crer, provavelmente nem é um problema de interpretação.
Outra coisa engraçada que ouvi lá foi que o mais certo é que as lareiras também passem a ser proibidas, portanto quem estiver para comprar casa tome atenção. Peço desculpa mas há qualquer coisa que me está a escapar no meio desta parvoíce colectiva. Ou então sou eu que estou passado e não me apercebo.

Outro email...

20/01/08

A minha janela.

É ali onde agora nasce o sol que vai nascer o novo aeroporto. A minha vista vai mudar.

19/01/08

Um Email...

Previsões para 2008


Manoel de Oliveira grava sequela de Aniki Bóbó utilizando apenas câmaras de vídeo vigilância da zona da Ribeira no Porto.

Nossa Sr.ª de Fátima faz aparição em poste de muita alta tensão.

Sócrates nomeia Armando Vara para presidente do Benfica.

Francisco Louçã usa uma gravata durante uma sessão da AR.

Sempre inspirado por Sarkozy, mas à sua escala, Luís Filipe Menezes começa a namorar com Mafalda Veiga.

Carlos Cruz é nomeado director de programas da RTP.

BCP lança campanha de spread 0 para militantes do PS com as quotas em dia.

Joe Berardo inscreve-se em curso de terapia da fala e já consegue cantar as canções mais complicadas de Sérgio Godinho.

ASAE lança franchising de restaurantes de fast-food .

Vanessa Fernandes será a nova namorada de Cristiano Ronaldo.

Galp descobre petróleo debaixo do capachinho de Fernando Gomes.

Julgamento Casa Pia é anulado porque as vitimas, que entretanto envelheceram e sofrem de alzheimer , não conseguem depor a mesma história que descreveram no início do processo.

Mourinho é vencedor da Liga do Jornal Record.

Pedro Santana Lopes assume paternidade de Ribau Esteves.

Selecção Nacional de Rugby ganha finalmente um jogo.

Marques Mendes só é visto no último trimestre de 2008 numa câmara de vigilância da Zara Kids.

Tratado de Lisboa fica sem efeito pois Sócrates rubricou "Sócrates O Magnifico" em todas as páginas.

Scolari consegue feito inédito ao ser campeão da Europa só com empates.

Isaltino Morais é o primeiro presidente de câmara a usar pulseira electrónica.

Ministro da Saúde , Correia de Campos, encerra-se no seu próprio gabinete e engole a chave.

Governo escolhe a barragem do Alqueva para localização do novo Aeroporto de Lisboa. A grande obra de engenharia obriga à drenagem e terraplanagem da barragem . Só o orçamento da obra demorará 2 anos a ser feito.

Albarquel - 19.01.08 - 17 horas







18/01/08

17/01/08

Não me acordem.

Tira esses olhos ramelosos da minha frente e nem te atrevas a dizer que os meus estão iguais. Podem estar mas eu não os vejo, por isso é mentira. Por agora só me apetece acordar olhar para a banda de lá e tentar bater o record de não pensar. Depois quero o batido de biscoito e natas, encher a banheira e absorver a humidade da água quente pelo nariz, se for capaz. Não vou ouvir aquelas músicas todas que chegarão pelo correio e que me dão sempre a sensação de já as ter ouvido antes. Não vou almoçar à Nova Cristal, nem ao Ti Alberto, nem à Cova Funda. Não vou almoçar. Não vou incomodar os que devem à procura de uma data para receber, nem explicar ao Fisco, de novo, que não lhes vou pagar o que não devo. Não vou retirar as garrafas de bebida do estúdio que os mocinhos teimam em deixar ficar vazias. Não vou atender o telefone nem ligar a televisão.
Vou estar lá às 17:30 à porta da escola, a 25 Km daqui só para lhe dar 2 horas de beijinhos e abraços. E mais nada.

16/01/08

É a vida...

E de arguidos passaram a acusados e, ainda inocentes, mantêm a convicção que nada fizeram de ilegal. E se calhar não fizeram nada de ilegal e se calhar a justiça anda a embirrar com eles porque não tem mais nada que fazer e se calhar a Bragaparques comprou o juiz. A verdade é que os lisboetas deixaram de ter Feira Popular e Parque Mayer e já não há ninguém que lhes devolva esses anos perdidos. Ou se calhar temos o que merecemos.

O Espírito Santo.

A minha vizinha do 8º é brasileira e mudou-se recentemente para aqui. Há dias no hall de entrada notei que ela estava com uma barriguinha. Como sou um desbocado disse-lhe: -Com que então Portugal está-te a fazer bem, até estás mais gordinha.
-Não é isso, o tema é que eu estou grávida. -disse ela.
-Então e o pai? -perguntei eu ainda no meu registo desbocado.
-É o Espírito Santo!-respondeu enquanto fez uma carita de tristeza ou de saudade, não percebi.

A conversa no prédio, reparei hoje, é que a Neuza está grávida e não sabe quem é o pai do rebento.

15/01/08

Não ingerir.

A candidatura de Miguel Cadilhe no BCP não se consegue explicar. Se foi porque lhe apeteceu, não dá para entender a ingenuidade dos que o seguiram. Se foi porque o PSD os empurrou, então o partido já está naquele estado em que queima tudo onde toca.
Para a lista vencedora Cadilhe foi um óptimo bónus, porque lhe permitiu uma percentagem (91,71%) que, provavelmente, não conseguiria se concorresse sózinha.

Filhos...

A minha amiga Clara casou pela segunda vez e trouxe com ela o Tiago, hoje com 14/15 anos, do 1º casamento. Desde o namoro com o Pedro Inácio, o actual marido, que a Clara foi acumulando problemas com o Tiago. O miúdo começou por não aceitar o namoro fazendo tudo o que estava ao seu alcance para desestabilizar, depois recusou aceitar a família e amigos do Pedro, conseguindo ficar em casa quando todos saíam juntos. Aos poucos foi, ao contrário de todos os outros, deixando de participar nas tarefas domésticas. Enquanto isso a Clara ia dizendo que isso haveria de mudar e deixou correr. O Tiago foi continuando, deixou de levar o lixo à rua, de arrumar o quarto, de ajudar a tomar conta do irmãozito mais novo, de estar presente quando a família se reúne, de dar explicações quando lhe eram pedidas. A Clara, pelo que sei agora, foi ficando cada vez mais preocupada mas nunca o demonstrou. Neste momento o Tiago vive com a mãe, com o irmão e com o filho do Pedro Inácio em casa deste, mas tem condições especiais: passa o tempo na cama, não pode ser incomodado, não participa em coisa alguma e só comunica com os outros quando quer pedir alguma coisa.
Estive com a Clara este fim de semana e ela, finalmente, queixou-se. O rapaz diz, agora, que os estudos não lhe dizem nada e passou a demonstrar um desinteresse absoluto pela escola. A mãe está em pânico e quis saber a minha opinião e eu não fui capaz de a dar toda de uma vez. Ser mãe/pai é uma tarefa de tal forma complexa que quando algo corre mal é preciso fazer tudo para que algum alicerce fique de pé para que não se desmorone tudo. Agora que deveria haver uma espécie de carta de condução obrigatória para ter filhos é verdade.

14/01/08

Crisis what crisis.

O futebol nacional não é muito interessante como desporto, mas, por enquanto, ainda alimenta muito os meios de comunicação. É por isso que após uma jornada em que o Benfica empata em casa com o Leixões e o Sporting empata fora com a Académica a notícia é, adivinhem: a crise do Sporting. Podia ser a crise da 2ª circular, mas não. É injusto porque o clube de Alvalade ficou sem o guarda-redes Ricardo, sem Caneira, sem Nani e sem Tello, não decidiu investir dinheiro na equipa para diminuir as dívidas, segundo dizem, e está em mais competições que o Benfica.
De outro modo o rival da Luz adquiriu uma dúzia de craques: Di Maria, Adu, Cardozo, Bergessio, etc..., trouxeram o treinador desejado e já não têm as mesmas possibilidades que os lagartos.
O porquê de ser assim toda a gente sabe, o resultado final vai ser, obviamente, favorável ao Sporting que é forçado a arrumar a casa, enquanto os encarnados vão comprando jogadores sempre que algo que lhes corra mal e vão, assim, adiando o sucesso que tantos seguidores esperam e merecem.

12/01/08

Ainda é muito de manhã...

Hoje é outro dos dias em que a qualquer hora é sempre muito de manhã. Precisava muito que de quinze em quinze dias, os dias fossem muito maiores. Assim eu teria muito mais trabalho, muito mais preocupação em criar actividades, muito mais perguntas a fazer a mim próprio. É um contra senso mas mesmo assim...

10/01/08

Aeroporto Internacional de Alcochete.


E pronto o LNEC entregou o relatório que diz que Alcochete é melhor e o Governo anunciou-o. Numa análise preliminar o futuro aeroporto vai nascer no campo de tiro e a nova ponte que ligará Barreiro a Chelas será rodo-ferroviária.
Antes deste novo relatório, Ota era melhor e os Governos anunciavam que o aeroporto era na Ota. E ponto final. Para mim isto não tem espinhas, era assim que sempre deveria ser feito. É claro que vai haver muita gente que fez guerra à Ota que agora vai fazer guerra a Alcochete e isso para mim é que é estúpido.

PS- Para já vai ter a vantagem dos jogadores do Sporting chegarem à Academia uns minutos mais cedo das férias.

Tão lindinhos que eles eram.

Eram realmente muito bonitinhos estes meninos há 30 anos atrás. É claro que o Tim se distinguia porque ainda tinha olhos grandes nesta altura e é engraçado reparar naquele, que já nesse tempo, era o único que se fazia à fotografia. Realce, também, para aquele delicioso microfone e para o bigodinho do cantor. O Kalu esse tinha, claramente, e ainda tem uma linda carinha.

09/01/08

Hoje acordei com vontade de cantar isto convosco.



Sara Tavares - Bom Feeling (Live on Jools Holland)

08/01/08

Discordância.

Está um Sr. a explicar o racismo e diz: -Se houver um assalto num restaurante e fugirem um branco e um preto, a polícia quando vier corre atrás do preto. Isto é racismo disse o senhor.
Eu não concordo. Eu acho que se houver um assalto num restaurante e fugirem um branco e um preto, a polícia quando vier corre atrás do branco, porque tem medo do preto. Isso sim, isso é que é racismo.

Yah, a justiça pois...

Quando o Sr. Paulo Pedroso, na altura com 38 anos de idade e uma proeminente carreira política pela frente, foi acusado de pertencer aos abusadores dos meninos da Casa Pia todos diziam que a justiça decidiria se ele era ou não culpado. Se ele fosse culpado ia para a prisão e pagaria o crime com a pena que lhe fosse atribuida, o que ninguém disse foi o que aconteceria se a justiça decidisse que ele não era culpado. Culpado ou não a condenação ao limbo já ninguém lhe tirava.
O sr. Paulo Pedroso pede agora umas centenas de milhares de euros ao Estado, por ter ficado com a vida destruída e há quem se abespinhe com o facto.
Eu não faço ideia se o homem era um dos que se andava a lambuzar com os rapazes, mas tenho ideia de olhar para ele e pensar que mais tarde ou mais cedo ia governar o país. Se o Paulo Pedroso é inocente ele devia receber milhões de indemnização, a comunicação social que o julgou devia fazer tudo para lhe restituir a dignidade e quem o acusou devia ficar preso muito tempo. E mesmo assim não era uma justiça perfeita, mas já era qualquer coisita.

Contras e mais contras.

E estava lá o sr. Ministro e muitos doutores e Presidentes de autarquias e Bastonários dos médicos e enfermeiros e os do INEM e mais os da Ressuscitação (gosto deste nome) e muitas outras pessoas.
A ideia era discutir para onde vai a saúde e acabou, como sempre, na percepção de para onde vai o país.
Vemos um programa destes que devia ter importância para a cidadania e para a democracia e ficamos com vontade de desistir, de tudo. Por uma razão ou por outra depressa entendemos que quem ali está, está em campanha eleitoral por alguma coisa, ou para manter o tacho ou para arranjar um ou para agradar ao partido e subir de posto. É degradante e é exemplificativo do porquê deste país não andar para a frente. Confunde-se liberdade de expressão com anarquia, democracia com arruaça, coragem com difamação. Num instantinho percebemos que quem pertence ao partido do governo concorda e quem é dos outros discorda e isto não dá saúde a nada nem a ninguém. No meio daquilo sobram 2 ou 3 pessoas que estão realmente preocupados com o que está em discussão, mas esses só têm direito a 30 segundos de microfone. É claro que quem está em casa a ver fica infectado com a bipolaridade, uns dirão que o Ministro é um assassino e outros que ele até é humilde e está a fazer o que pode. Então e a nossa saúde?
Nada resiste a isto, é impossível gerir um país onde a corrupção intelectual é muito mais importante que o conhecimento.

06/01/08

Fézada...

Neste concurso, apareceu um concorrente que não cumpriu as regras. Isto serve para complementar o post anterior.
O Salvador tem um tio que é quadro na RTP e pensou que a OT era o único concurso, desde que há concursos, em que os familiares dos funcionários podiam concorrer. Demorou 3 meses a ir ler o contrato, mesmo depois de o andarem a chatear na net chamando-o batoteiro. Compreende-se estava empenhado na escola e tal. Pois.
Contudo, durante todo este tempo, semanalmente, houve um outro/a que foi mais cedo para casa e que não violou as regras.
A Endemol e a RTP decidiram indemnizar todos os outros concorrentes expulsos prematuramente? NÃO!!! Em vez disso levaram o rapaz a mais uma gala para se explicar e cantar mais uma cantiga. Isto é fézada, ainda vamos ouvir dizer que se não fosse aquela infelicidade o Salvador ganhava aquilo. E o tio, terá tido alguma influencia nesta decisão?

Os programas, concursos, musicais.

Qualquer programita que meta cantigas, música, tem interesse para mim. Tento acompanhar todos o mais que posso e sofro e rejubilo com os sonhos dos meninos e meninas que por lá passam. Nestes programas aparecem grandes talentos e começam a desenhar-se grandes desilusões. A indústria, as televisões, o país, nunca irão absorver os talentos aparecidos, pela razão simples de que não têm tamanho. O nosso país não suporta 2 talentos novos em simultâneo, não lhes compram os discos, não vão aos seus concertos. Ora para estes miúdos ter talento e trabalhar não chega , é preciso , acima de tudo, ter fézada. Precisam de ganhar um programa destes, ter a fézada de fazer sair o disco rápido, ter tido sorte no management arranjado e ainda têm de ter a fézada de as pessoas terem preferido o programa que ele ganhou a outros programas concorrentes (*). É muita coisa junta que, por si só, vai colocar o talento como uma das peças menos importantes na vida de quem se safar. É triste, não concordam?

(*)- Como as nossas TVs não vão mais longe do que mimarem-se umas às outras acontece sempre que transmitem os programas similares ao mesmo tempo o que reduz ainda mais a exposição do possível talento.

O tabaco e a lei.

A coisa até nem estava a correr mal de todo. Já não fumava 2 maços de Marlboro Lights 100's por dia e até me conseguia empolgar quando chegava ao fim da noite e ainda tinha o mesmo maço de tabaco. Estava a caminhar devagar mas ia andando e fumava menos.
Depois veio a lei que, à portuguesa, não dá qualquer tempo para os cidadãos se habituarem, começa no 1º dia do ano e pronto! Podia começar no dia 1, sim, mas darem 3 meses para adaptação, por exemplo. Mas não, decidiram repetir o erro do código penal que deu a confusão que deu. Agora antes de entrar no restaurante pergunto se se pode fumar, respondem-me que em princípio não e eu aproveito e fumo um cigarrito à porta, entro despacho as entradas e dou mais uma saltada à porta para outro cigarro e vou para o prato principal. Entretanto reparo que em algumas mesas se discutem os cigarros e apercebo-me que ainda anda tudo à toa com a lei, não é mais de 100 metros é menos de 100 metros, para se poder fumar é preciso uma autorização, o patrão não está cá, ...
A verdade é que daí a pouco já o empregado anda a distribuir cinzeiros e já há muitos comensais a fumar. Claro que eu, que gostava de cumprir a lei, começo a achar que o fumo de mais um cigarro não vai fazer mal nenhum e truncas vai mais um cigarrito. Com isto tudo estou a fumar bastante mais e o curioso é que dantes eu para fumar no restaurante, ou noutro lugar qualquer, certificava-me primeiro se não incomodava, mas sabia que podia afastar-me um pouco, abrir a janela, ir até ao bar...

05/01/08

Rosas do Minho

Quando era miúdo, ainda antes da escola, havia um local onde eu ia várias vezes. Ora buscar o "especial" para o almoço, ora chamar o tio e o padrinho para almoçar, ora buscar o "especial" para o jantar e trazer os adultos, ora chamar algum deles para vir ao telefone, etc...Chamava-se Rosas do Minho e durante muitos anos foi a tasca de referência do bairro onde nasci. A tasca era por onde os adultos estavam sempre depois da hora de trabalho e tantas vezes durante. Não se podiam juntar no jardim em frente, mas podiam estar na tasca. Se beber vinho era dar de comer a 1 milhão de portugueses, tinham de os deixar beber e eles bebiam. Alguns bebiam muito e embebedavam-se, outros ficavam tocados logo ao 1º copo, tinham a caldeira aquecida era o que diziam. Às vezes, algumas por dia, zangavam-se e lutavam. As razões das lutas eram sempre absurdas: o Pinguinhas pisou o Surdo e este mandou uma piada qualquer que o Pinguinhas não gostou..., o Neto estava a falar do Cantinflas e disse que o filho do António da Farmácia dava ares ao gajo, o António ouviu deu-lhe um murro e desatou tudo à pancada... Depois ao outro dia pediam-se desculpas, pagavam-se uns copos e voltava tudo ao mesmo.
A conjugação era perfeita, todos tinham um filho ou um irmão ou sobrinho na guerra, todos acumulavam medos de perda, as mulheres acordavam a chorar e as mais religiosas rezavam pela sorte dos que tinham em África. Impotentes no lar,com proibição de falar alto, o vinho ali à mão e quando a tensão se superiorizava à capacidade de suster a raiva desatavam à porrada para descarregar. As mulheres não se importavam porque sempre era melhor descarregarem na tasca do que em casa. Com os anos todos ficavam com "barriga de água" que era a doença mais comum a partir de certa idade e era, quase, uma inevitabilidade. Contudo, eram todos apreciados nos locais de trabalho fosse no matadouro, fosse na Sacor, fosse na APT, fosse em Beirolas, fosse onde fosse. Ninguém queria ser rico, ser rico era ser bufo, era pertencer a eles. Quando alguém adquiria, por exemplo, uma motorizada, explicava na tasca tostãozinho a tostãozinho como tinha arranjado o dinheiro.
A vizinha Gorete ficou sem o filho, morreu afogado em Moçambique disseram-lhe, o marido não aguentou e enforcou-se nas oliveiras em frente à casa. Toda a vizinhança ficou responsável pela Gorete, levavam-lhe as refeições, iam lá um bocadinho, essas coisas. A nós coube-nos o jantar de 4ª feira e lá ia eu com o tachito embrulhado em jornal. Quando anoitecia mais cedo acontecia-me sucessivas vezes cruzar-me com os polícias a cavalo, que lá de cima do animal me obrigavam a desembrulhar o tacho e a explicar toda a história, todas as vezes. Durante muitos anos a minha imagem de medo era um cavalo enorme malhado a preto e branco que de repente me quer chicotear com a cauda. Mas nunca falei disso a ninguém e não sei como percebi que não devia falar.
Nas Rosas do Minho também não se falava dessas coisas, nem da polícia, nem do filho da Gorete, nem da guerra, népias. Os homens olhavam-se nos olhos, engoliam o vinho do copo e estava tudo dito.

04/01/08

O amor constrói-se...

...até na areia.


video


Um 2008 cheio de amor, para todos.

03/01/08

Famosos, mas nem tanto...

O "Fininho" passou o fim de ano a trabalhar na estação pública. Conta quem viu que esteve sempre de copo na mão, porque era fim de ano, porque o programa era uma novidade muito arriscada, porque os nervos quando nascem são para todos, porque era preciso estar com as 8000 pessoas do pavilhão Atlântico sem se separar dos milhões que estavam em casa e era preciso estar com estes sem perder os do pavilhão de vista.
Em qualquer país do mundo o Zé Diogo seria levado ao colo por, pelo menos, 4 acompanhantes, teria escolta policial e seria levado a repousar num qualquer complexo hoteleiro daqueles como há no Dubai. Porque esteve a trabalhar na estação pública para os portugueses, porque o país tem a obrigação de proteger o seu património artístico e, acima de tudo, porque todos lhe deviamos alguma coisa.
Mas não foi assim, o Fininho foi mandado parar no Cais do Sodré a conduzir a sua viatura e tinha 1,6 g/l de álcool no sangue. Nem sei porque foi preciso soprar no balão se tanta gente tinha presenciado a noite, passado a noite, com ele. Mas é o país que temos!
Agora imperdoável, nojento mesmo, é haver um jornaleco que faz primeira página dois dias seguidos, até ver, com o caso. Que esperam estes arautos da desgraça conseguir? Informar que o artista bebeu? - Isso todos viram. Explicar que o Quintela merecia mais? Não, apenas denegrir e há até um paspalhão do jornaleco que se chama Ricardo Martins Pereira que diz: "Qualquer pessoa a quem já tenha sido retirada a carta por uma infracção ao Código da Estrada deve sentir-se hoje muito injustiçada, depois de saber que o Gato Zé Diogo Quintela levou apenas uma multa de 400 euros e não ficou inibido de conduzir, mesmo tendo sido apanhado com 1,6 de álcool numa operação stop. Eu nunca bebi uma cerveja na vida..."
O país deixou que o Zé fosse conduzir depois de estar a trabalhar para ele, o Zé foi a tribunal e pagou a multa que deviamos ser nós a pagar. Tenho dúvidas se seria multado se levasse um jornalista com ele.
Tenho vergonha de viver num país ingrato para a sua cultura e onde cada medíocre se pode assumir como justiceiro.

01/01/08

Sem palavras.


Este ano comecei sem beber e o outro acabei sem beber. Isto parece um testemunho de um alcoólico anónimo, ou parecido, mas é grupo. Isto apenas é estranho, porque toda a gente bebe nesta altura, não é?
Não calhou...