21/02/06

As aulas...

Ontem, de tudo o que vi na TV sobre as aulas de substituição, o que me pareceu mais representativo foi a forma como todos os alunos classificavam as ditas aulas: -Estamos 90 minutos a olhar para o professor e ele a olhar para nós! - diziam os meninos.
Já tinha ouvido classificações semelhantes em relação a: área projecto, estudo acompanhado e clubes. Será que os professores quererão acabar com estas também?
E, também, há disciplinas em que não varia muito do que os meninos disseram das aulas de substituição, o que se faz? Acaba-se com elas? É isso que se espera do Ministério?
A mim palpita-me que de tantas exigências ainda vão obrigar o Ministério a substituir sim, mas professores.

20/02/06

Não durmo.

Nada me tira a insónia, nem o vinho
nem o assédio louco do teu corpo,
nem a minha vontade de dormir, muito.

Eu estou acordado, mesmo quando durmo.

17/02/06

O amigo fornicável.

Estávamos a conversar sobre os amigos, os nossos amigos e como os distinguimos. A esse propósito diz-me ela: -Tu por exemplo és o meu amigo fornicável.
-Amigo fornicável? respondo eu. Mas o que é um amigo fornicável?
-Bom, nós olhamos para todos os nossos amigos de uma determinada maneira. Há uns que nunca nos passa pela cabeça ter sexo com eles porque não nos excitam de forma nenhuma. Há outros que até nos excitam mas temos a convicção que se os levássemos para a cama, os perdíamos como amigos. E há outros que nos excitam e que estamos certos que se nos envolvessemos sexualmente com eles, fosse qual fosse o resultado na cama, eles nunca deixariam de ser nossos amigos. Esses são os amigos fornicáveis. Esclarecido?
-Sim, disse eu enquanto me questionava se, para mim, ela era uma amiga fornicável.

16/02/06

Não me lixem!!!

Já estou um bocado farto de falar disto, é verdade. Acho até que se não tivessem sido as pseudo-ameaças, os mails desafiadores, a luta pela liberdade de poder expressar o meu pensamento, eu já tinha convidado o pessoal todo para uma jantarada e tinhamos bebido bem e discutido por exemplo: A função do Paulo Borges no centenário do nascimento de Agostinho da Silva.

Mas, se calhar, acabaria por estragar tudo. Haveria de arranjar um espaço para dizer que os radicalismos apreciam as guerras; que, embora com diferentes culturas, extrema-direita e radicalismo islâmico, são similares; e, até, numa fase mais bebido, perguntar porque não apalpavam as maminhas à mãe quando se despediam.

Não me lixem!!!

Finalmente, ela vai expôr:



QUE NINGUÉM FALTE!!!

13/02/06

A voltinha saloia

O tempo mudou, e a primavera chegou mais cedo. Ainda não vieram os pintassilgos mas a pardalada já se bandeia em grande algazarra. Ontem fui fazer aquilo que há muito deixei de praticar - a voltinha saloia. Com roupa a mais para a temperatura lá fui até a Arruda dos Vinhos com a ideia de me ir banquetear no restaurante "O Fuso" onde cheguei por volta das 14:30 horas. A porta do restaurante e as imediações dela estavam repletas de pessoas, às 14:45 tinha 38 reservas de mesa à minha frente o que me fez duvidar das crises todas e desistir. Almoçei passava das 15 horas no restaurante "Barrete Saloio" em Bucelas. É incrível como no meio de tanta contestação ao actual nível de vida dos portugueses, se vê tanto povo a encher os restaurantes caros e a gastar combustível.

09/02/06

Quem se mete com os Super dragões....



A expressão da liberdade

"Jyllands-Posten" é um jornal que se define como independente de direita, mas que tem posições próximas da extrema-direita dinamarquesa. Foram eles que publicarem as polémicas caricaturas de Maomé.
Christoffer Zieler foi o autor dos cartoons. Em 2003 este Sr. fez cinco desenhos de Jesus Cristo que foram rejeitados pelo jornal descrito acima, porque seriam considerados ofensivos pelos leitores.

Sem comentários.

08/02/06

Bom proveito.

Digo eu e como eu dizem muitas outras pessoas que o problema não é cozinhar, é saber o que cozinhar. Para ajudar um bocadito aqui temos um blog cheio de dicas, chama-se Pataniscas de bacalhau. Então, bom proveito.

07/02/06

Porquê agora?

Ao abrigo da liberdade de imprensa os frios dinamarqueses voltaram a espetar nos jornais uns cartoons que ferem a fé muçulmana. Por todo o lado se escreve que o ocidente não pode limitar a sua liberdade de expressão por causa dos outros e bla, bla, bla...
Ao abrigo da liberdade de expressão sucedem-se manifestações violentas de repúdio no Irão, no Iraque, na Índia, no Afeganistão, na Turquia, no Líbano, na Indonésia e por aí fora.
Estranhamente, ou talvez não, tudo acontece quando nas eleições palestinianas não venceu quem o ocidente desejava e no Irão se aposta nos recursos nucleares que aos olhos dos de cá não são a mesma coisa que os recursos idênticos de Israel.
Afinal o que é que estamos à espera?

03/02/06

Afinal...

...aquele gesto do Nuno Gomes a mimar a seringa na veia aquando do jogo do SLB com o Sporting de Braga não era dirigido aos bracarenses mas ao seu colega Nuno Assis. Assim está bem, o seu a seu dono.
Como é óbvio o Veiga vai explicar tudo daqui a pouco.

02/02/06

Casai-vos umas às outras.

Numa altura que mais de metade das pessoas que conheço falam em divórcio, aparecem-me estas duas tontinhas, a Teresa e a Helena, a dizerem que querem casar. Não me parece mal. Mas casarem como se fossem um homem e uma mulher como está consignado na lei? Aí já me dano! Dano-me porque se a lei não interessa eu também quero resolver o meu problema familiar. Se eu só posso casar com uma das mulheres que vive comigo porque a lei não permite que o faça com todas, então tudo tem que cumprir a lei. Eu sei que é tramado, também tive que fundamentar as razões porque casei com aquela e não com nenhuma das outras, mas é a vida. Só espero (ou não) que pelo facto de eu dizer que casava com aquela porque era mais rica, as outras não lhe limpem o sarampo.
Depois também não entendo muito bem essa treta dos direitos iguais, como é que dois homens casados podem usufruir do direito de colocar o seu sexozito numa vagina quentinha e cremosa? Eu tenho esse direito, mas eles não podem ter porque não querem, quais são os direitos então?

Os benefícios das canadianas.


Eu acho que é falta de hábito nosso, mas na verdade é estranha a actividade actual deste governo. Ele é o Bill Gates a prometer, ele são alterações no IRS, ele são as simplificações de registos da gestão empresarial, ele é a acessibilidade à construção e dissolução de empresas, ele são as medidas para facilitar a vida aos cidadãos atacando a burocracia vigente. Acresce a tudo isto a facilidade como o homem das canadianas explica na AR e noutros fóruns o que quer para Portugal. É verdade que é cedo para bater palmas, mas também acredito que o país é de todos e que a implantação de novas medidas carece muito da colaboração de todos nós.
Eu um dia fiquei doente e fundei uma banda, anos depois fiquei doente de novo e constituí uma associação cultural e por nisso compreendo o mestre Sócrates. Até já pensei se não lhe deveria dar uma panada quando ele ficar bom das pernitas e largar definitivamente as canadianas.