30/04/08

Fim de semana.

O Sol, nossa fonte de luz e de vida, é a estrela mais próxima de nós e a que melhor conhecemos. Eu vou atrás dele, hoje, até à Costa da Caparica.
Se ele não fugir, fico por lá até à semana que vem. Espero, pelo meio, ir a Queluz ver-me, finalmente, livre do Jeep.

Bom fim-de-semana.

28/04/08

Moscavide do Oeste.

Grupo invade esquadra de Moscavide para agredir rapaz que apresentava queixa

28.04.2008 - 09h00 PÚBLICO

A esquadra da PSP de Moscavide foi ontem invadida, cerca das 17h00, por um grupo de dez a quinze homens, aparentemente brasileiros, que agrediram um jovem de 20 anos. O rapaz encontrava-se a apresentar uma queixa contra aqueles indivíduos, noticia hoje o jornal “24 Horas”.

O queixoso já estava a prestar depoimento perante o único polícia que estava naquele momento da 35ª esquadra de Lisboa, quando o grupo entrou nas instalações e saiu a correr depois de o agredir, segundo testemunhas no local.

A vítima teve de receber assistência médica, pelo que não pode acabar de apresentar a queixa.

O 25 de Abril na RTP1 (25 de Abril)

Nota introdutória: Esta insistência na RTP1 tem como única razão o facto de ser a nossa televisão, aquela que nós pagamos e a que tem obrigação de contribuir com objectividade, verdade e conhecimento para as gerações mais novas e para as do futuro. É que não vale de nada chamar ignorantes aos jovens se não lhes é dada informação na linguagem que eles entendem

No dia 25 a RTP apresentou um programa de variedades, com as cantigas de há 34 anos, cantadas pelos artistas de há 34 anos e acompanhados por uma meia-orquestra que já não se usa. Ver Carlos Mendes, Fernando Tordo, Brigada Victor Jara, Lua Extravagante, Carlos Alberto Moniz, Manuel Freire, José Jorge Letria, Xico Fanhais, Samuel e tantos outros cantores importantes da música nacional e que fizeram da cantiga uma arma há muitos anos atrás, pode ser importante para nós, mas os jovens não têm paciência. Isto enfurece-me ainda mais quando sei que a própria indústria tem presente o que foram lançamentos como "Os filhos da madrugada", por exemplo, em que 20 grupos cantam músicas do Zeca e que foi um sucesso estrondoso.
As músicas poderiam até ser aquelas, mas já imaginaram o que seria se a RTP usando os arquivos que mostraram, tivessem convidado: Blasted Mechanism, Tara Perdida, Clã, Tiago Bettencourt, Mind da Gap, Slimmy, Rita Redshoes, Mão Morta, Da Weasel, Mesa e Dona Maria por exemplo, para cantarem as mesmas cantigas? Saia-lhes muito mais barato e assim, sim, estariam a mostrar o 25 de Abril à juventude.

Nota Final: Estava a escrever isto e a ouvir o nosso Presidente da República a dizer na televisão que estava escandalizado com a ignorância dos jovens sobre o 25 de Abril. Sem comentários!

O 25 de Abril na RTP1 (dia 24)

A noite do 24 para 25 de Abril na RTP1 foi preenchida com aquele tal programa(*), O corredor do poder, e o convidado foi Otelo Saraiva de Carvalho. O homem que foi pau para toda a obra de todos os oportunistas, voltou a repetir o que sempre disse, explicando cada acusação ao pormenor e chamando as pessoas pelo próprio nome, sem temer que alguém o venha desmentir, algo que nunca fizeram. Não entendo a intenção da RTP de colocar o homem que se sujeitou a tudo para nos devolver a liberdade perante quem só encontrou pedras para lhe atirar, e que depois quando lhe foi lembrado que o partido dele queimava sedes de partidos no Norte do país, escondeu a mãozinha. Foi confrangedor ver o Nuno Melo a clamar que Otelo não tinha legitimidade democrática para fazer o que fazia, pois não nem para fazer o 25 de Abril. O CDS continua a fazer de conta que Abril de 1974 não existiu, dizendo constantemente que a revolução foi no 25 de Novembro, como se podesse haver uma coisa sem a outra. Eu acho que colocar alguém do CDS a falar da nossa revolução sabendo-se que eles sempre estiveram com os destituidos é um ataque ao 25 de Abril e a todos nós, a menos que os colocassem à partida como os que estavam contra e, no mesmo sentido, chamassem também aqueles, que ainda há, que se mantêm fieis ao antigo regime e não o escondem. Porque estamos a falar do 34º aniversário da revolução dos cravos e porque ainda há muita gente nova que, nestas alturas, procura saber mais.

Engraçado foi, também, ver o desconforto da representante do PCP quando o, hoje, tenente-coronel falou do seu encontro com Álvaro Cunhal.

(*)- Programa apresentado por Sandra Moura e com Ana Drago, Margarida Botelho, Nuno Melo, Marcos Perestrello e Marco António Costa como comentadores.

27/04/08

O candidato.

No dia 17 deste mês logo a seguir à demissão de Luís Filipe Menezes eu disse aqui o seguinte: "Tudo isto deve dar carradas de nervos a Santana Lopes, para quem, aparentemente, tudo estava bem encaminhado para o regresso ao lugar principal." Alguns amigos referiram-se ao que escrevi atribuindo-me uma espécie de "paranóia da perseguição" em relação ao ex-primeiro. Curiosamente a comunicação social nunca colocou o Pedro na corrida, mostrando, até, alguma surpresa pela sua candidatura a presidente do partido.
Pois para mim sempre foi claro que Pedro Santana Lopes estava a amanhar o terreno para ir para o único lugar que, por ora, pode ambicionar. A presidência da bancada parlamentar só foi aceite a pensar na possibilidade de progressão e por isso ele repetia constantemente que andava por aí. O que já me surpreende é a forma como tal candidatura transtornou o que resta do PSD, já ouvimos de tudo: traição, abuso, ultrapassagem, eu sei lá. Como é possível que um homem que ainda há pouco era acusado de dar cabo do partido, seja causador de tanto desassossego? Em qualquer partido político esta candidatura não estaria à partida condenada à rejeição pelos seus militantes? Pois é, mas esta não está e, em vez disso, é uma séria candidata à vitória nas directas. A crise no PSD, por ser um partido vocacionado para o poder, não é anormal. A forma como se procura um novo líder é, há muito tempo, completamente anormal.

Saudade.


E já lá vão 4 anos.

Quinta-feira, Maio 27, 2004

NASCEU


Tinha de ser hoje ou amanhã ou ontem, mas tinha de ser.
Agora é dar-lhe maminha e deixá-lo crescer.

Entalado nas ressacas do 24 e 25 da Abril, maximizadas com o aniversário da Joana Isabel, o Boomeramg nasceu há 4 anos.

24/04/08

Saudade.


Saudade.


O que vale é que temos, todos, memória curta.

O Duarte do blogue "O último pingo" teve o trabalhinho de ir guardando citações do grã-mestre do engano, Luís Filipe Vieira. Aqui vão algumas da sua vasta colecção:


Duzentos mil sócios até Junho do próximo ano é o objectivo
- 06-09-07


Se eu fosse o treinador só queria dormir, porque quando acordasse não sabia qual a equipa que ia pôr a jogar, com tanta qualidade - início da época de 2007/2008

Temos o melhor plantel dos últimos 10 anos - 24-07-07

O Canal Benfica está constantemente a ser boicotado - 12-07-07

Benfica será bandeira nacional nos mercados accionistas internacionais - 21-05-07

O Benfica não vai participar na Taça da Liga - 19-05-07

Se o Benfica não tiver 300 mil sócios até Outubro demito-me - 02-06-05

O clube voltou a ser dos mais representados na Selecção. Tem seis jogadores e todos portugueses - 30-5-2004

Dentro de 3 anos o Benfica será o maior do mundo - 19-04-2003

O Benfica será mais forte que o Real Madrid - 19-04-2003


23/04/08

Arranca na 6ª feira, no Montijo.


A partir de sexta-feira, e até Agosto, a galeria municipal do Montijo vai recuar ao tempo do vinil e do flower power. São toneladas de discos, gravações, bobines e outras raridades que testemunham a força do rock português entre 1955 e 1974.

– Quem foi que disse que o flower power não poderia ser revisitado com cravos?

O dia 25 de Abril, sexta-feira, foi o dia escolhido pela galeria municipal do Montijo para inaugurar uma exposição sobre o rock em Portugal. Nova Vaga – o rock em Portugal 1955-1974 inclui perto de uma centena de capas de discos, fotografias, recortes de jornais, instrumentos, posters da época e gravações de bobines que testemunham a força do rock em Portugal muito antes daquilo a que viria a chamar-se «boom» do rock nos anos 1980.

Na exposição poderão ser vistos discos, muitos deles raridades, de nomes míticos como Quinteto Académico, Conchas, Chinchilas, Pop Five Music Incorporated, Zeca do Rock, Sheiks, Joaquim Costa, Conjunto Mistério e Os Claves, aos quais se juntam grupos formados nas ex-colónias portuguesas e em Macau.

Esta exposição é o resultado de cinco anos de pesquisa de dois admiradores do rock português, Edgar Raposo e Luís Futre, pesquisa essa que contou ainda com o apoio de editores discográficos da Groovie Records e variados empréstimos e cedências de material por parte de coleccionadores particulares.

Além do que vai estar exposto até finais de Agosto, os dois organizadores fizeram um livro-catálogo quase exaustivo de tudo o que foi editado naquela época. A publicação, que é suportada pela autarquia de Montijo, adopta o mesmo título da exposição, tem cerca de 120 páginas e reproduz a cores cerca de 400 capas de vinis de bandas, conjuntos e artistas portugueses que gravaram naquela época. O livro-catálogo incluirá ainda fotografias inéditas, recortes de imprensa e textos de Edgar Raposo, Luís Futre e João Carlos Callixto que fazem um enquadramento do rock, pop, psicadelismo e as diversas variações.

Os organizadores da mostra esperam editar comercialmente, no prazo de um ano, uma versão alargada e bilingue deste catálogo, já que esta época da música portuguesa é uma espécie de baú sem fundo. «Isto é quase um um trabalho de pesquisa de antropologia e de arqueologia musical», confessou Edgar Raposo à Lusa, sublinhando que, comparando com o que se faz na Europa, em Portugal ainda são raras as publicações sobre música portuguesa.

Bruna Pereira

Estou com problemas de compreensão.

23.4.08


11:50 (JPP)

ANTI-HUBBUB






24.

Sem se "consertar" primeiro o PSD, restituindo-lhe um mínimo de credibilidade, o que significa mudar estilos, linguagem, processos e pessoas, não adianta avançar com grandes arroubos programáticos porque pura e simplesmente ninguém os percebe, nem os ouve, nem os faz. Qualquer outra proposta pode ser muito bonita no papel, mas é profundamente irrealista, e serve os "maus", ou é mera retórica. Claro que este meu "primeiro" não deve ser entendido como isolando o "conserto" da renovação programática, as duas coisas têm que ser feitas ao mesmo tempo, mas com uma certa maneira, um certo ritmo, tempo e modo. Aliás, é esta a última oportunidade de ainda o fazer. Se falhar, acabou. Mas se não se cuida da primeira razão (o "conserto"), não se faz a segunda (a cesura política) e não o contrário. Como todos os intelectuais eu também prezo as rupturas, mas é difícil romper mais o que já está rompido, e o que não está rompido está tão puído, que se pode rasgar todo. Poderá dizer-se que ainda bem, estrague-se o PSD para fazer outra coisa, mas eu não faço parte daqueles que querem deixar o país entregue ao PS por mais uma década. »»»

Estou com graves problemas cognitivos. Acompanho diariamente a escrita do Pacheco Pereira no seu blogue e confesso que cada vez entendo menos o que o homem quer dizer. Percebo que ele não está de acordo com ninguém nem com ele próprio, porque a sua prosa é pouco coerente, mas raramente percebo onde quer chegar. O texto acima retirado do Abrupto é o exemplo disso, JPP diz que é preciso mudar estilos, linguagem, processos e pessoas, mas, pelos vistos, não há estilos, nem processos e, muito menos, pessoas adequadas ao que o comentador da quadratura do circulo deseja. Todos os que aparecem têm grandes defeitos e não servem e já há muito que é assim. Ou seja o que ele acha necessário que se faça não lhe parece possível fazer e, isto sim, é a verdadeira quadratura do dito cujo. Como diria a minha filha grande o homem escreve bué para não dizer nada e assim nunca se engana. E eu, que gostava tanto de entender este intelectual que preza rupturas e "consertos" ao mesmo tempo, que faço? Vou ler de novo aqueles livrinhos com folhas de papel de arroz?

Mas o que é isto?

Hoje de manhã, como de costume, saí com o Zézinho para irmos à quintinha. A quintinha é uma propriedade municipal que contém o palácio da Quinta da Piedade, a loja do munícipe, umas associações, um parque infantil, lagos, aparelhos de ginástica, circuitos de manutenção, burros, cavalos, ovelhas, cabras, patos, cisnes e pavões. As árvores estão quase todas referenciadas com nomes da cultura portuguesa e hoje havia uma novidade: uma enorme estátua colocada num pedestal e sem referência alguma sobre a sua identidade. Os funcionários da camara que encontrei não sabiam mais do que eu. Assim sendo, tirei uma foto à coisa e coloco-a aqui na esperança que alguém, quem sabe algum dos colaboradores da nossa Rosinha, me ajude a identificar o pedregulho. Não vale dizer que ela está torta em relação ao pedestal, porque isso toda a gente vê. E quem sabe se a imagem não é familiar para alguém, vamos lá aceitam-se hipóteses, eu, se for preciso, depois vou à C.M. de Vila Franca de Xira para confirmar.

22/04/08

E o projecto é:

Como tinha previsto, as candidaturas a presidente do PSD sucedem-se em filinha e, cada dia, aparece mais uma, outra desiste e julgo que isto não vai parar tão depressa. A entrada na corrida de Manuela Ferreira Leite significa que, desta vez, o partido vai gastar todos os trunfos que lhe restam mas não quer dizer que resolva seja o que for.
O problema do PSD não tem que ver com a sua liderança, mas com o facto de estar afastado do poder. A elasticidade do nosso "centrão" que, na Europa, só tem comparação na Grécia, não deixa grande margem de manobra para fazer oposição. É por isso que a luta política dentro do tal "centrão" há muito não é ideológica, mas feita de acusações pessoais, golpes palacianos, esquemas judiciais, etc...
Sousa Franco e Freitas do Amaral são 2 de muitos outros exemplos de que entre os partidos que ocupam a faixa do poder as diferenças são quase inexistentes, tal é a extensão política que abarcam. É comum ouvirmos dizer que no PS há quem esteja mais à direita do que alguns PSDs e neste alguns mais há esquerda que nos socialistas. Isto é verdade e demonstra uma realidade que teimamos em ignorar, Portugal quase não tem políticos preocupados com o país nem coerentes naquilo que dizem defender, em vez disso temos uma multidão de raposinhas que esperam um lugar qualquer que lhes abra caminho para outro lugar um pouco melhor e assim sucessivamente. Por isso a ideologia não existe e basta que o poder esteja longe durante algum tempo para que todo o verniz estale.
De todos os candidatos que até agora se ofereceram para unir o partido há que perguntar o que politicamente os distingue, ninguém sabe. Que diferença vai fazer se o escolhido for a Manuela, ou o Pedro, ou o Patinha ou outro qualquer. Que diferença fará para o Pacheco Pereira e para o Prof. Marcelo, por exemplo? Nenhuma! E para o partido? E para o país?
O partido socialista passou pelo mesmo, convém não esquecer, contudo conseguiu fazer uma coisa que hoje era impossível acontecer no PSD - os Estados Gerais que ainda, hoje, são uma ferramenta que alguns socialistas utilizam quando mais apertados.
Vamos esperar, que ainda falta saber se Santana Lopes, Filipe Menezes ou algum dos barões na sombra vêm acrescentar mais alguma coisa. Até agora discute-se qual das candidaturas pode vir a valer mais votos e ninguém se preocupa com os projectos de cada uma, fundamentando quem há muito diz que o PSD é um partido de poder e não um partido de sociedade.

21/04/08

Há mais barato, mas é ilegal.

Infarmed: Portugueses estão a comprar medicamentos ilegalmente através da Internet

15.04.2008 - 14h00 Lusa

Os portugueses estão a comprar ilegalmente através da Internet medicamentos para a oncologia, cardiologia e doenças do sistema nervoso central, o que é "um risco", pois estes fármacos podem ser contrafeitos, alertou o presidente da autoridade nacional do sector.

O presidente da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), Vasco Maria, lançou hoje o alerta durante um encontro com a comunicação social para a apresentação dos mecanismos de dispensa de medicamentos pela Internet, que arranca em breve.

O responsável alertou para os riscos da "utilização indevida de alguns sítios na Internet que são ilegais e que possibilitam a aquisição de medicamentos não legais".

Entre os vários riscos que os consumidores de medicamentos adquiridos ilegalmente pela Internet correm consta a ausência de substância activa ou a sua presença numa quantidade não adequada e ainda a possibilidade de os fármacos estarem toxicamente contaminados.

Os portugueses já descobriram esta possibilidade há algum tempo, tendo o Infarmed conhecimento de que, inicialmente, eram os medicamentos contra a obesidade e a disfunção eréctil os mais comprados por esta via.

Contudo, a autoridade nacional do medicamento identificou "um desvio claro" para outras áreas, como a oncologia, cardiologia e as doenças do sistema nervoso central.

Esta aquisição ilegal de medicamentos para áreas tão complexas como estas tem já um "impacto muito significativo", disse Vasco Maria.

O presidente do Infarmed garantiu, no entanto, que em Portugal existe um controlo dos medicamentos que tem impedido a existência de fármacos contrafeitos no sistema de distribuição legal.

As autoridades portuguesas reconhecem que, tal como nos outros países, estes sites existem, mas ninguém sabe onde.

Ou seja eles é que mandam, eles é que fazem os preços e pronto, está dito!

20/04/08

Vamos partir o coco a rir?

Ter a casa cheia de miudagem não é só uma canseira, exige criação constante e vontade de entrega total. Ontem decidimos criar um ritual para partir o coco, demos-lhe o nome que titula este post e foram 2 horas de diversão familiar. Houve pintura de cocos, trabalhos manuais relevando a técnica de furação, cantigas, bebidas de leite de coco e uma espécie de bowling com cocos.
Aconselho a todos, é realmente saudável.

Mural.

18/04/08

Aprender, aprender sempre.

Criticar o Presidente da República,
Sr. Prof. Aníbal Cavaco Silva,
é coisa que nunca fiz,
não faço,
nem façarei.

Em Junho cá estamos, de novo.

A demissão de Luís Filipe Menezes vai demonstrar, e já o está a fazer, que o PSD está completamente desmembrado e que já não funciona, há muito tempo, como partido. As candidaturas, algumas obrigatórias, vão-se suceder e vai ficar provado que o problema não é o líder mas a desunião interna e a postura interesseira de um grande número de personalidades. No actual estado não há ninguém conhecido que consiga consenso que baste para presidir ao partido sem grandes oposições, ou seja, todos são Menezes. Não é, por isso, de admirar que aquela centena, mais coisa menos coisa, de militantes que já vinham a preparar o terreno para um futuro papel de deputado, cá ou na Europa, se transformem num exército ruidoso apelando à recandidatura do ainda líder. É pouco importante se Luís Filipe Menezes jogou com isso ou não, porque seria sempre inevitável. Veremos se em Junho teremos um presidente do partido diferente do de hoje.

Curiosamente há muita coisa parecida, para além do nome próprio do presidente, entre o PSD e o SLB. Será que isso é fruto da tão falada ingerência da política no futebol ou têm todos os mesmos instrutores?

17/04/08

Foi-se!

Afinal não foram precisas bombas, o homem consultou a sua consciência e demitiu-se, até ver. Agora vamos ver a quantidade de doninhas que vão sair do buraco. Tudo isto deve dar carradas de nervos a Santana Lopes, para quem, aparentemente, tudo estava bem encaminhado para o regresso ao lugar principal.

Quem é? Quem será?

Pois é, quem é este lindo rapazinho? A fotografia está a fazer 30 anos. Vá lá digam, não custa nada.

Quis imitar o 24 horas, lixou-se.

Comunicado da Direcção do Expresso


Pinto da Costa e o Hospital da Luz

17:33 | Quarta-feira, 16 de Abr de 2008

A Edição online do Expresso publicou ontem uma notícia que dava conta da entrada de Jorge Nuno Pinto da Costa nas urgências do Hospital da Luz. Essa notícia esteve em destaque no sítio do Expresso durante cerca de duas horas, tendo depois sido substituída por uma outra (que ali permaneceu cerca de seis horas) que a desmentia, baseada em declarações do porta-voz do FCP.

Com a mesma frontalidade com que o Expresso manteve notícias que foram falsamente desmentidas, temos hoje de reconhecer que a informação da entrada de Jorge Nuno Pinto da Costa no Hospital da Luz não tem qualquer sustentação, pelo que jamais devia ter sido publicada.

Acresce que, tanto quanto é possível saber, no processo de confirmação da notícia não foram cumpridas normas exigíveis pelo Código Deontológico dos Jornalistas e pelo Código de Conduta dos Jornalistas do Expresso.

Assim sendo, a Direcção do Expresso determinou a abertura de um inquérito sobre a elaboração e publicação desta notícia, com vista ao apuramento das responsabilidades dos seus autores e intervenientes.

Decidiu, ainda, pedir formalmente desculpa às entidades envolvidas, nomeadamente ao presidente do FC Porto, aos seus familiares e amigos, à administração do Hospital da Luz e, como não poderia deixar de ser, a todos os nossos leitores.

Deliberou ainda, ouvido e com a plena concordância do Conselho de Redacção, eleito pelos jornalistas, publicar este comunicado no seu site e na edição semanal e dele dar conhecimento directo aos envolvidos.

Pela Direcção,
Henrique Monteiro

Dia Mundial da Voz.


Foi o dia do Rastreio Anual da Voz realizado pelo Fundo Social da GDA. Hospital Egas Moniz, Dra. Clara Capucho seguido de um "meeting" pedagógico no hotel Vila Galé Ópera.
Como recordação trago-vos uma imagem das cordas vocais (por acaso, as minhas) fechadas e abertas . Bonito não é?

16/04/08

Nem quero comentar:




Leões agarram final com unhas e dentes






BENFICA DESPERDIÇA VANTAGEM DE 2-0 E PERDE 3-5!



Rui Costa inaugurou o marcador para o Benfica e iniciou a jogada que permitiu a Nuno Gomes ampliar a vantagem, Yannick, Liedson e Derlei mostraram a garra do leão, Rodríguez empatou, Yannick e Vukcevic aumentaram: o Sporting defronta o FC Porto na final após um jogo louco de Taça.


Isso mesmo, o comentário não é meu. . Quero, contudo, agradecer ao Paulo Bento e aos jogadores do Benfica por terem feito o que eu lhes disse que gostava. Muito obrigado a todos!

Mais um derby.

«Há questões que podem ser importantes, como o descanso das duas equipas, agregado ao número de jogos que cada uma disputou nos últimos tempos. Por isso, o Sporting terá de ser competente, inteligente e solidário. Com estes três argumentos teremos todas as possibilidades de chegar à final da Taça», vaticinou Paulo Bento.

É com isso tudo e também com responsabilidade e vontade, coisa que se esbate um bom bocado com as desculpas do não haver investimento, dos árbitros serem mauzinhos e do plantel ser curto. Gostava que o Derlei jogasse um bocadito.


Apesar de jogar fora em casa de um rival, Chalana garante que o Benfica vai «a Alvalade para ganhar». «Não tenham dúvidas nenhumas. Não vamos para defender, vamos para ganhar», concluiu.

Defender o quê, não percebi e acho que os jogadores também vão ter dificuldade em perceber, se calhar é por isso que andam à toa dentro do campo. Gostava que os jogadores não perdessem a cabeça e que chegassem ao fim com 11.

15/04/08

Mais para acrescentar à inevitabilidade.

Hoje dei por mim a pensar se os mais influentes do partido PSD não teriam sido lá colocados por José Sócrates, numa cabala de pedir meças à realizada contra o PS com o processo Casa Pia. As últimas tiradas do Alberto João Jardim sobre a oposição na Madeira, chamando-lhes um bando de loucos que o envergonha e outros piropos do seu vasto repertório, são uma excelente capa para o partido governamental aproveitar a sua maioria para achincalhar o maior partido da oposição, que, diga-se em abono da verdade, bem merece.
Quem, também, se tem excedido, ultimamente, no disparate é o Sr. Rui Gomes da Silva, um verdadeiro enterra nas hostes dos sociais-democratas. O filme agora prende-se com uma tal Fernanda Câncio a quem o Rui Enterra da Silva achou por bem enlamear, com o único objectivo de atacar o 1º ministro. Diz ele que a jornalista só vai fazer um programa na RTP2 porque divide o coração com Sócrates posição já criticada por alguns companheiros do partido como: Morais Sarmento, Miguel Veiga, Pedro Passos Coelho, José Luís Arnaut e outros. Convém recordar que ainda não há muito tempo lançaram o boato de que o secretário-geral do PS era gay e não se assumia. Até ver o povo é sereno.
Numa altura em que a necessidade de uma oposição credível é urgente, este pessoal, para além de uma incapacidade total de avançar com propostas exequíveis, acrescenta uma deturpação total dos valores da democracia. Ora aqui está a razão porque eu não entendo que o guardião-mor da dita, o prof. Cavaco e Silva, se recuse a tecer comentários sobre o assunto. Já o PSD faz-me lembrar aqueles meninos birrentos que após perceberem que não vão conseguir o que desejam, só param de fazer asneiras quando levam a tal palmada no rabo.

14/04/08

Acordei mal.

HojeHoje acordei esquisito, irritado, mal-disposto. A música ambiente começou mal porque acordei a ouvir o Miguel Gameiro a cantar, o mesmo de sempre, num programa de televisão. Que chatice, é preciso insistir e nunca desistir mas sempre com o mesmo?
Bom, depois as notícias com os disparates do Alberto João Jardim e com novas confusões com os professores, não agradados com as negociações dos sindicatos com o governo. Esta inquietude constante não permite, não pode permitir, tranquilidade a quem vive para o ensino.
E também acordei mal-disposto, pudera, durante a noite fartei-me de circular naquela auto-estrada nova, que faz a ligação entre a cama e o frigorífico.

13/04/08

A Crónica do Luis Avelãs:

Humilhação encarnada

Mais do que perder, de forma clara e inequívoca, em casa com a Académica, o que ficou evidente na noite de sexta-feira na Luz é que as águias, actualmente, podem ser facilmente ludibriadas por um qualquer adversário. Basta os primeiros minutos não correrem de feição e tudo é possível. Até encaixar três golos de uma formação coimbrã que, valha a verdade, é dos conjuntos mais débeis da Liga a actuar na condição de visitante. Antes desta histórica jornada, os pupilos de Domingos só tinham ganho um dos 12 duelos disputados fora. E no que se refere a golos marcados apresentavam somente 9. A Quim marcaram 33% do total anterior. E ainda poderiam ter sido mais...

Ver o Benfica perder em casa com a Académica é, de facto, uma enorme surpresa. E tendo em conta o desnível do marcador, só encontro uma palavra que resume o sucedido: escândalo!

Mas, sejamos factuais, tendo em conta o trajecto dos encarnados em casa esta temporada – com particular destaque para os embates disputados em 2008 -, se calhar a surpresa seria ver o Benfica... ganhar. É que, até agora, só na Luz já voaram 18 pontos, algo que, naturalmente, não acontece muitos vezes. Somente quando a equipa é vulgar e está recheada de jogadores incapazes de assumir o controlo de uma partida, independentemente da menor valia teórica dos opositores.

Com tanto tropeção em casa, muitos iniciados (como foi o caso deste último) com erros infantis de jogadores experimentados, o Benfica não só jamais poderia pensar em ser campeão como, muito provavelmente, vai deixar escapar o acesso à Liga dos Campeões. E atenção, não estou a falar apenas do segundo lugar, o tal que vale a entrada directa na “Champions”. Mesmo a presença na terceira pré-eliminatória é, por agora, um cenário complicado para as águias. E convém não esquecer que a próxima jornada reserva uma visita ao Dragão. Dias depois do Benfica jogar a temporada em Alvalade, numa meia-final da Taça de Portugal entre os dois maiores “flops” da época. É que depois do FC Porto, em Portugal têm sido os dois Vitórias quem mais e melhor futebol tem praticado nos últimos tempos. Os piques de forma de Sporting e Benfica não valem mais do que isso mesmo: são meras excepções.

O mais intrigante nos últimos dias foi ver a forma algo ridícula como dirigentes, técnicos e jogadores do Benfica falaram depois do jogo no Bessa. É verdade que as águias assinaram uma exibição sensacional e que podiam e deviam ter ganho esse jogo, mas daí a dizer-se que estava tudo bem, que a equipa voltara a jogar de forma convincente, vai uma grande distância. Como se percebeu dias depois. E de que maneira!

Data: Sabado, 12 Abril de 2008 - 17:17

10/04/08

Parabéns Helena.

A helena faz anos, 12.
A Nova Cristal Deu a casa, o bolo e todos os empregados foram cantar os parabéns.
Eu não fumo há 28 dias e estou pronto a concorrer com o Gungunhana para a maior pança do planeta.

09/04/08

Este dia:

E foi, fiz isso. Levantei-me com uma preguiça do caraças às 10 da manhã, passei a trombinha por água e lá fui eu a caminho da estomatologia. A dentista linda, africana, a Yola fez-me esperar 40 minutos. Depois, depois abusou de mim mais de 4 horas, que ela jura que foi pouco mais de uma hora e fez as contas. Paguei, refilei, calei-me, desliguei o portátil da tomada,( enquanto o Aston Vila jogava com o Arsenal no F.M.2008), meti-o no saco e vim para a rua.
Senti-me abandonado, comprei o gelado e enfiei-me no Nissan.

A Helena amanhã faz anos e eu adoro dar prendas, por isso fui ter com o meu velho amigo Sarmentinho para configurar, com ele, as ideias que tinha em mente. Fui bater lojas e encontrei, precisamente, o que tinha pensado.

Voltei para o Sarmento e a puta da gaivota, ou mente subjectiva. ou subconsciência, ou o que lhe quiserem chamar; veio falar comigo.
E, caramba, parecia uma metralhadora de perguntas:
-Então o Ângelo Correia não era o Joker do Luis Filipe Menezes?
-O que são resultados viciados?
-Como é aceitável que os McCann ponham condições à PJ para colaborarem nas investigações? Estamos a falar de quê?
-Quanto tempo vai a Esmeralda levar a perceber que foi manipulada para não querer o pai? E depois, que vão fazer os manipuladores ( adorava que a palavra fosse manipulantes)?
-Achas que os escoceses se vão embebedar no fim do jogo para afogar as mágoas ou para festejar?
-A erva tem nicotina?

Bem, tive de voltar às compras. Depois ainda passei pela Assembleia da República mas cheguei muito atrasado.
Foi isto...

08/04/08

A todos os artistas, atenção:

Clica em cima para ampliar:

Anti-americanismo primário.

Querido filho,

estás a cometer no Iraque o mesmo erro que eu cometi com a tua mãe:

não retirei a tempo...

07/04/08

Da colaboração dos amigos:

Blogger iznogoud disse...

Desculpa o comentário a despropósito.

Quanto ao "post" acho que há razões suficientes para alarmismo. Antigamente andavamos com X-actos mas não havia a mentalidade que existe agora.


Anónimo Pan de Cea disse...

Zé Leonel,
Sendo completamente contra a política de avestruz, não posso, todavia, de deixar de ficar estupefacto perante a leviandade com que estes temas são passados para a opinião pública. Lembro-me de Léo Ferré numa entrevista ao Sete há já muitos anos: "As palavras são mais perigosas que as metralhadoras", particularmente quando usadas por quem não sabe o que diz ...


Julex disse...

mas qual é o mal de isso vir nas notícias? assim sabemos todos o que se passa, ou não é?


Primeiro queria agradecer-vos pela colaboração, os e-mails não diminuiram nada, mas a discussão aqui é sempre mais aberta e pode-se sempre ler diferentes visões sobre o mesmo assunto.

Já o disse e confirmo que estou absolutamente de acordo com o Pan de Cea, as palavras são de uma força incomensurável e é preciso saber distinguir quando são verdadeiras de quando são intencionalmente dúbias. Podíamos lançar uma discussão sobre, por exemplo, o efeito de quando sobre as drogas diziam que erva, liamba, cocaína, heroína, comprimidos e por aí fora eram tudo igual; ou podíamos discutir sobre a forma como a escrita é condescendente com o álcool; ou como se escreve que o frango está doente porque se quer vender carne de porco ou vice-versa. Podíamos discutir de muitas maneiras e com temas diversos o efeito da palavra, mas por ora vamos falar sobre o que emana do post de onde retirei os comentários acima referidos.

Iznogoud: não há qualquer razão para alarmismos, há dez anos era igual ao que é hoje, há 20 anos era pior e há 30 nem te digo. A escola continua a ser o local mais seguro que este país, o 9º em termos de segurança, tem.

Júlio: fiquei muito contente por teres cá vindo como prometeste e afinal nem deste mais que um erro ou dois nos vários comentários. É verdade que a informação é bem, mas tem que ser séria, informativa e formativa. Quando se afasta da verdade absoluta temos de duvidar dos seus intentos.

Iznogoud e Júlio: o problema é que se todo o mundo ficar convencido que o alarme é razoável instala-se o medo e seguidamente qualquer ditador que te garanta a segurança é legítimo e parece-te aceitável. E não, não estou a exagerar, já conheço é a táctica.


São 59 anos de diferença:




O Spencer tem 25 anos e a Barbara 84, vejam até ao fim.

06/04/08

Ah pois, assim não vamos lá.

Há dez anos a esta parte descobri, no meu entender, um local óptimo para apalpar o sentir do senso comum sobre o que se passa no dia a dia. Trata-se de um dos parques de campismo da Costa da Caparica, podia ser um qualquer, onde a minha mãe mantém um alvéolo e para onde às vezes vamos, quando o tempo atmosférico convida e a cabeça tem paciência. A praia é logo ao lado e as pessoas, por detrás do titulo de companheiro, permitem-se falar de tudo com todos, mesmo sem que os conheçam de lado nenhum.
-Companheiro, a praia está boa? O que é que o companheiro acha desta coisa dos professores? Então companheiro que me diz deste Benfica, acha que vai ficar em segundo? Etc...
Neste fim de semana falava-se do Benfica (fala-se sempre), dos telemóveis nas escolas, nos mais de 42% do PS nas sondagens e no programa POLIS para a Costa. Houve uma coisa que retive e que me surpreendeu, no meio daqueles companheiros todos: pais, mães, filhos, avós, netos e restantes familiares toda a gente tinha estórias para contar sobre o uso dos telemóveis nas escolas. Todos tinham alguém que era, ou eram eles próprios alunos de professores que nas aulas de substituição permitiam o uso do telefone portátil. Garantiram-me que alguns professores até incentivavam os alunos a usá-los, enquanto eles, os profs, corrigiam os testes das suas verdadeiras turmas. Houve quem contasse que tinha professores que permitiam o uso de leitores de mp3, que podiam ser telefones, para ouvirem musica enquanto faziam os testes. Achei tudo aquilo muito estranho e mostrei a minha desconfiança, contudo houve professores que eles próprios confirmaram ser verdade o que se dizia ali.

Está tudo explicado, ou ainda falta muito?

04/04/08

Agora são as armas, porque não se calam?

Gosto da forma como se tratam as coisas cá na terra. Durante anos a fio parece que nada acontece sobre determinados assuntos e, de repente, à boleia de um sarilho qualquer parece que está tudo a acontecer. Dizem hoje que em cada 10 dias são apreendidas 7 armas nas escolas. Atiram o título assim mesmo, sem perder muito tempo nas características das ditas armas. Mais à frente dizem que a maioria são armas brancas com preponderância para uns pequenos canivetes que para os portadores nunca serão considerados como armas, e é isto que é importante: o que os miúdos pensam que trazem com eles.
E, ou as pessoas têm a noção do que o alarmismo e a histeria provocam nos adolescentes e informam com correcção, ou então continuam a vender notícias irresponsavelmente transformando-se nos verdadeiros culpados do resultado das suas afirmações. É que a maioria das armas que abrem hoje as notícias são completamente inocentes em relação aos x-actos, por exemplo.

Uma coisa é certa o pessoal que frequentou a escola na mesma altura que eu, não vai poder dizer que nesse tempo não era assim. Nesse tempo, 1974/75, no Instituto Industrial de Lisboa (hoje ISEL) as armas eram à descrição e não eram canivetes.

03/04/08

Mas é que o crime compensa mesmo...

Com 16 pontinhos de avanço na presente temporada, ao F.C. do Porto dava todo o jeito do mundo ser penalizado com a perda de 6 pontos, agora. Para o caso seria igual que mais tarde se comprovasse que o castigo é justo ou que se provasse o contrário.
Se o clube praticou o ilicito a pena ficava paga e ninguém poderia ficar impune daqui para a frente, contudo o campeonato estava ganho na mesma ou seja o prejuízo era igual a zero. Se tudo não passou de excesso de zelo judiciário, ninguém calaria o dragão vítima e tínhamos mais 20 anos de reinado azul e branco, cheio de cruzadas contra os sulistas com o vigor do costume e, desta vez, justificado.
Curioso mesmo é como ninguém se chateou nada, até agora, com a nota de culpa do FCP, dando mesmo a sensação que a única surpresa é mesmo a do Boavista. Coisas do papa.

02/04/08

Eu queria pregar, vou concorrer a presidente da junta de freguesia:




Liberdade sem expressão.

Eram para aí umas 4 da manhã quando acendi a televisão e dei com uma repetição, julgo eu, do Boa noite Alvim na SIC Radical. Os convidados, desta vez, eram a Rita Redshoes e o David Anão ou o anão David. Com insónias devido à ausência do tabaquinho (e já lá vão 20 dias!) assisti ao programa e, enquanto visualizava o dito, ia "sebentando" o post que ia escrever sobre aquilo. Foi quando já estava no computador, para passar da intenção à prática, que fui parar, nem sei como, a uns blogues que se alimentam exclusivamente de cascar no próximo como este que bate em tudo o que é gente ou este outro destinado, principalmente, ao Nuno Markl.
Assim, desisti por ora, de postar sobre o programa do Fernando Alvim. Todos os blogues são aceitáveis e têm o direito de existir à luz do que é aceitável hoje, hoje. A liberdade de expressão seria uma conquista se não fosse confundida com liberdade sem expressão, porque esta não necessita de ser conquistada, é por todos aceite e isolada com os muros do manicómio ou desprezada e esmolada na via pública.
E pronto, lá se safou o Fernandito de levar nas orelhas.

01/04/08

Sou eu assim sem a voz...

video

Agradecimentos a Leonel Santos.

Tudo azul após super-dose de Viagra

Um britânico afirma que está a ver tudo azul após ter tomado uma dose muito grande de Viagra. John Pettigrew, de 58 anos, de Brighton (Inglaterra), diz que a sua vida parece um «filme azul» após os comprimidos para melhorar o seu desempenho sexual terem danificado a sua visão.

Segundo o jornal The Sun, Pettigrew admitiu que não seguiu as recomendações que constavam na embalagem do medicamento e que, embora se tenha divertido muito depois do ingeri-lo, abriria mão de todas as relações sexuais do mundo para poder voltar a ver uma caixa de correio vermelha novamente.

Divorciado, o britânico afirmou que adquiriu o Viagra pela Internet quando percebeu que não tinha o mesmo desempenho sexual após um ano de abstinência.

Ao princípio, Pettigrew não percebeu nenhum efeito secundário, no entanto, há mais de 15 dias que vê tudo azul. Agora, tem feito exames para descobrir se os danos são permanentes.

A fabricante do Viagra, a Pfizer, disse ao jornal The Sun que alerta que alguns homens podem começar a ver com um tom azulado após a ingestão excessiva do medicamento. (Notícia do Portugal Diário.)

Está explicada a visão de Pinto da Costa, eu bem me parecia....