04/04/08

Agora são as armas, porque não se calam?

Gosto da forma como se tratam as coisas cá na terra. Durante anos a fio parece que nada acontece sobre determinados assuntos e, de repente, à boleia de um sarilho qualquer parece que está tudo a acontecer. Dizem hoje que em cada 10 dias são apreendidas 7 armas nas escolas. Atiram o título assim mesmo, sem perder muito tempo nas características das ditas armas. Mais à frente dizem que a maioria são armas brancas com preponderância para uns pequenos canivetes que para os portadores nunca serão considerados como armas, e é isto que é importante: o que os miúdos pensam que trazem com eles.
E, ou as pessoas têm a noção do que o alarmismo e a histeria provocam nos adolescentes e informam com correcção, ou então continuam a vender notícias irresponsavelmente transformando-se nos verdadeiros culpados do resultado das suas afirmações. É que a maioria das armas que abrem hoje as notícias são completamente inocentes em relação aos x-actos, por exemplo.

Uma coisa é certa o pessoal que frequentou a escola na mesma altura que eu, não vai poder dizer que nesse tempo não era assim. Nesse tempo, 1974/75, no Instituto Industrial de Lisboa (hoje ISEL) as armas eram à descrição e não eram canivetes.

5 comentários:

iznogoud disse...

Até podemos perder a eliminatória, mas reitero que o Rangers foi o melhor que nos podia ter acontecido.

iznogoud disse...

Desculpa o comentário a despropósito.

Quanto ao "post" acho que há razões suficientes para alarmismo. Antigamente andavamos com X-actos mas não havia a mentalidade que existe agora.

Pan de Cea disse...

Zé Leonel,
Sendo completamente contra a política de avestruz, não posso, todavia, de deixar de ficar estupefacto perante a leviandade com que estes temas são passados para a opinião pública. Lembro-me de Léo Ferré numa entrevista ao Sete há já muitos anos: "As palavras são mais perigosas que as metralhadoras", particularmente quando usadas por quem não sabe o que diz ...

Zé Leonel disse...

É isso aí, caro Pan de Cea, e o mais triste é que tenho a certeza que eles sabem bem o poder dessa arma, a palavra. Sabem e usam-na com intencionalidade.

Isnogoud dizes muito bem: "Antigamente andavamos com X-actos mas não havia a mentalidade que existe agora."
É esse, exactamente, o meu alerta, será que esta forma de noticiar não vai mudar a mentalidade daqueles que ainda têm a mentalidade de antigamente? Porque ainda há muitos.

Abraços.

Julex disse...

mas qual é o mal de isso vir nas notícias? assim sabemos todos o que se passa, ou não é?