02/04/08

Liberdade sem expressão.

Eram para aí umas 4 da manhã quando acendi a televisão e dei com uma repetição, julgo eu, do Boa noite Alvim na SIC Radical. Os convidados, desta vez, eram a Rita Redshoes e o David Anão ou o anão David. Com insónias devido à ausência do tabaquinho (e já lá vão 20 dias!) assisti ao programa e, enquanto visualizava o dito, ia "sebentando" o post que ia escrever sobre aquilo. Foi quando já estava no computador, para passar da intenção à prática, que fui parar, nem sei como, a uns blogues que se alimentam exclusivamente de cascar no próximo como este que bate em tudo o que é gente ou este outro destinado, principalmente, ao Nuno Markl.
Assim, desisti por ora, de postar sobre o programa do Fernando Alvim. Todos os blogues são aceitáveis e têm o direito de existir à luz do que é aceitável hoje, hoje. A liberdade de expressão seria uma conquista se não fosse confundida com liberdade sem expressão, porque esta não necessita de ser conquistada, é por todos aceite e isolada com os muros do manicómio ou desprezada e esmolada na via pública.
E pronto, lá se safou o Fernandito de levar nas orelhas.

2 comentários:

Ana Levy disse...

Zé desculpa lá mas esse Alvim é um abismado. Ainda não percebi é o que é que o deslumbra, será ele próprio? Só pode ser.

Nuno Sá disse...

P'racaso também não vou muito à bola com esse gajo.

Abç.