17/01/08

Não me acordem.

Tira esses olhos ramelosos da minha frente e nem te atrevas a dizer que os meus estão iguais. Podem estar mas eu não os vejo, por isso é mentira. Por agora só me apetece acordar olhar para a banda de lá e tentar bater o record de não pensar. Depois quero o batido de biscoito e natas, encher a banheira e absorver a humidade da água quente pelo nariz, se for capaz. Não vou ouvir aquelas músicas todas que chegarão pelo correio e que me dão sempre a sensação de já as ter ouvido antes. Não vou almoçar à Nova Cristal, nem ao Ti Alberto, nem à Cova Funda. Não vou almoçar. Não vou incomodar os que devem à procura de uma data para receber, nem explicar ao Fisco, de novo, que não lhes vou pagar o que não devo. Não vou retirar as garrafas de bebida do estúdio que os mocinhos teimam em deixar ficar vazias. Não vou atender o telefone nem ligar a televisão.
Vou estar lá às 17:30 à porta da escola, a 25 Km daqui só para lhe dar 2 horas de beijinhos e abraços. E mais nada.

1 comentário:

maria_arvore disse...

:)

É que sabe mesmo bem nada fazer. :) Sobretudo, os que são deveres.
À excepção dos que são mesmo importantes por envolverem trocas de ternura. :)