05/07/08

Sume-te careca...

Futebol

Apito Final: Conselho de Justiça da FPF suspende Gonçalves Pereira "preventiva e imediatamente"
05.07.2008 - 08h52 Lusa

O presidente do Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foi "suspenso preventiva e imediatamente" pelo órgão, anunciou um dos cinco conselheiros que concluíram hoje a reunião sobre o processo Apito Final sem a presença de Gonçalves Pereira.

Álvaro Batista explicou que a decisão de suspender Gonçalves Pereira resultou de uma deliberação dos cinco conselheiros "fundamentada do ponto de vista legal", por considerarem "nula a decisão de encerramento dos trabalhos" pelo presidente do CJ, às 18h00 de sexta-feira.

Após três horas de reunião, o órgão de justiça federativo iniciou a apreciação dos recursos do processo Apito Final, mas, antes de os relatores terem apresentado os acórdãos, Gonçalves Pereira anunciou a aceitação dos pedidos de impedimento do conselheiro João Abreu, apresentados por Boavista e FC Porto.

"Com um despacho exclusivamente proferido por ele, Gonçalves Pereira declarou-o (João Abreu) impedido de intervir nos processos do Boavista e de Pinto da Costa. Foi interposto recurso e proposto ao presidente que reparasse o despacho, por se considerar ilegal. Gonçalves Pereira recusou discutir o recurso e revogar a decisão", explicou Álvaro Batista.

O conselheiro, que leu a curta declaração na presença dos restantes quatro membros do CJ, adiantou que "foi proposta a instauração de um processo disciplinar a Gonçalves Pereira", após a qual o presidente deu por encerrada a reunião e abandonou a sala.

"Os membros presentes, em número de cinco, por considerarem nula a decisão do encerramento dos trabalhos por parte de Gonçalves Pereira, por se destinar a impedir a tomada de deliberações, revogaram o despacho e prosseguiram com o procedimento disciplinar instaurado ao presidente, suspenso preventiva e imediatamente", explicou Álvaro Batista.

Em declarações à Agência Lusa, Gonçalves Pereira qualificou de "encontro informal de conselheiros" a continuação da reunião na sede da FPF, em Lisboa, que também não contou com a presença do vice-presidente do CJ, Elísio Amorim.

"Decretei, contrariado, o fim da reunião porque não estavam reunidas as condições mínimas para o seu funcionamento. O que se está a passar agora é um encontro informal de conselheiros e não pode nunca ser apelidado de reunião do Conselho de Justiça", disse Gonçalves Pereira, ainda antes de ter sido anunciada a suspensão.

O presidente do CJ alegou que o fim prematuro da reunião foi motivado por "dois pedidos de impedimento do FC Porto e Boavista" em relação a João Abreu, que Gonçalves Pereira acolheu, o que motivou a contestação do conselheiro e "mais alguns que se solidarizaram".

"Considerei procedentes os pedidos de impedimento e notifiquei o conselheiro João Abreu, ao abrigo de uma competência exclusiva que possuo", revelou Gonçalves Pereira, para quem "João Abreu está impedido no que respeita a este processo", caso seja analisado em futura reunião do CJ.

O CJ da FPF confirmou a despromoção do Boavista à Liga de Honra e manteve a suspensão de dois anos a Pinto da Costa, no âmbito do processo Apito Final, penas que tinham sido impostas pela Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional a 9 de Maio.

1 comentário:

bernard n. shull disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link