15/11/07

Mas porquê?

Ainda há dias fazia aqui referência ao blogue do Pedro Namora e a questão é sempre a mesma. Porque é que as lutas na nossa terra têm sempre que roçar o ordinário, o insulto gratuito sem detalhes, o ataque desenfreado sem ser fundamentado? Porquê? O que foi feito daquelas manifestações enormes em que as palavras de ordem eram sobre a a razão da manifestação, que quase sempre obtinham resultados. Hoje prefere-se chamar nomes aos ministros, dizer que os governos têm que cair, usar todos os impropérios que se conhece, etc... Será por isso que, normalmente, só quem se manifesta conhece as razões da manifestação? Falta muito para queimarem espantalhos e bandeiras como é comum nos fundamentalistas?
Isto vem a propósito do Blogue ACABPortugal.
Alguém me pode ajudar a perceber o que se procura com esta luta? É luta?

2 comentários:

Anónimo disse...

tavez seja a revolta e o nada conseguir para parar a injustiça

José Leonel Perfeito disse...

Talvez...embora eu pense que nem se experimenta de outra maneira. Não se consegue juntar apoios se estes não entenderem o que apoiam, não é?