01/06/08

Amy Winehouse.


Enquanto decorria o espectáculo da Amy Winehouse recebi imensas chamadas do pessoal amigo a dizerem: - Liga a SIC Radical, olha para aquilo, que falta de respeito, completamente decadente, que vergonha, coitadinha, etc...
Os comentários referiam-se, obviamente, à artista que mais uma vez se apresentou completamente alterada. Irritei-me. Irrita-me sempre o lado desumano da vida e a hipocrisia que afasta as pessoas da solidariedade e da compreensão.
Amy Winehouse fez tanta questão em vir ao Rock in Rio como eu fazia, na altura, em ir ao Big Show SIC, ela veio porque os Medina e os portugueses quiseram e os empresários aceitaram e venderam.
Ela veio para esgotar o seu dia de Festival, para alienar dezenas de milhares de cabecinhas que os vampiros se encarregaram de, previamente, encher de boatos sobre a sua vinda e a sua vida. Amy Winehouse não teve aquela prestação para Portugal, aquela é a sua prestação. Uma voz inigualável, uma capacidade criativa que é dom de poucos e uma proximidade do fim que devia ser perceptível a toda a gente. O público e os que o alimentam não estão a fazer mais do que a precipitar o fim de uma miúda com qualidades artísticas excepcionais. Se não a vendessem, se não a comprassem estariam a ajudá-la, quanto mais não fosse a não rever futuramente, as "performances" actuais. Dolorosamente a maioria está-se nas tintas para as qualidades da artista sendo certo que se ela voltasse, após uma cura, daqui a 2 anos, não levaria tantas pessoas ao concerto, não teria o mesmo preço, não enriqueceria tanto os tais vampiros, que, hoje, a ajudam a mostrar-se assim.
Por fim, irritou-me o Zé Pedro. Mais do que ninguém ele sabe como essas coisas funcionam, sentiu-o no corpo e vê isso acontecer à sua volta constantemente. Tinha o dever de explicar a artista e não o estado dela, esse todos perceberam.


2 comentários:

roserouge disse...

Eu sempre defendi que a melhor maneira de emagrecer é meter cavalo pelas veias acima. O resultado tá à vista. Quais dietas, quais ginásios, que perda de tempo e dinheiro, que disparate...vai um calduço de speedball, ó amyzinha?

batukada disse...

Grande texto, amigo.