09/06/04

Quero-te e pronto!

Não é a tua carne que eu desejo
é o teu ser
mas o teu ser, o que existe, não é carne
e o desejo é carnal não é?
É dos sentidos, não é?
O desejo, ele próprio, é um sentido.
Então não é a razão que te deseja,
é o desejo.
Mas isso não é normal,
Porque o desejo quer carne
e a razão quer razão,
e eu desejo-te sem corpo.

Que confusão!

Pensei melhor,
vamos deixar tudo como está.

Quero-te e pronto!

4 comentários:

Anónimo disse...

Conheces algum ser sem carne?? Os sentidos só existem porque há carne... Ao querer, quer-se tudo... corpo e alma... Só assim faz sentido o querer. Tess

Sacolinha disse...

Ai, não é nada disso!
O que se quere é o ser, sendo a carne a forma imediata mas fugaz, de se tentar chegar a ele. A carne dá estrutura visível ao ser, e por isso, capaz de materializar o contacto.
Isto é a teoria, agora venham os sentimentos: o escrito é lindo, suponho que sentido, pelo que o autor nos explique aquilo que ele próprio desistiu de entender. Ele "quero-te e pronto"!
Adorei

Anónimo disse...

Faz sentido.
Quer dizer não faz sentido, mas tem sentido porque se sente....e quando isso acontece fica tudo às avessas.
A razão fica "aflita", as emoções enrodilham-se, emaranham-se, exigem, replicam e o ser...esse nem sabe mais se o é!
Malgré tout...
Se vale a pena? Então não! É só o que vale mesmo! Sentir,querer é assim.
E terminaste em beleza, mas sem chave porque isso não se fecha...expande-se...

:)
Blossom

Anónimo disse...

Ès um ser lindo! Já te tinham dito?
Parabéns pelo teu blog, gosto de te ler. E assim, sempre se mantém algumas ligações bonitas.
Beijocas grandes
Atena