16/03/08

Para as 3 em 1 de 2009.

Fui uma das pessoas que achei completamente absurda a convocação de um comício pelo PS para uma semana depois da grande manifestação. Contudo só achei disparatado por ser o partido do governo e por parecer uma resposta ao protesto do dia 8 de Março. Todas as forças políticas têm o direito de se juntarem quando lhes aprouver e a democracia é isso mesmo.

O comício de ontem, que poderia ter sido problemático para Sócrates, veio, no entanto, a transformar-se numa acção simplex, fácil e sem problemas. Até a pequena manifestação de professores acabou por ser desvalorizada após os não-apoios do PCP e dos Sindicatos.

Nestes dias dou por mim a pensar se isto é tudo sorte, se o secretário-geral do PS é um predestinado ou se é ele próprio quem manipula os acontecimentos (esta última, uma hipótese impensável no Portugal de hoje). É que cada situação adversa que acontece ao partido e/ou ao governo, logo surgem uma quantidade de outras favoráveis que diminuem aquelas.
Os sindicatos conseguem aquela enorme manifestação e na semana que se seguiu ao contrário de colherem os louros e aproveitarem para puxar a opinião publica para a sua luta foram completamente emparedados pelos Menezes, Ribaus, Rios, Capuchos, Santanas e restante família. Assim sendo, não há FENPROF que aguente, nem professores que cheguem.
E, até mesmo, no tirinho no pé que poderia ter sido o comício de ontem, Sócrates teve a ajudinha dos que conduzem a luta. Ou seja, neste momento, ao governo e à parte do partido que o sustenta, todas as burrices são permitidas e por cada uma que façam, alguém, dos outros lados, estará a pôr umas mil em prática. A continuar assim só lhes falta fazer as listas e escolher as datas exactas para as 3 em 1 do ano que vem.

3 comentários:

Pan de Cea disse...

Achas mesmo a manipulação dos acontecimentos uma hipótese impensável? O cenário que colocas dá-me ganas de emigrar ...
Não sei porquê tive vontade de reler o "Rosas do Minho", que considero brilhante.
Abraço

José Leonel Perfeito disse...

Pan de Cea, a marioneta não se pode manipular a ela própria. O risco é que o manipulador se torne invisível até para o próprio fantoche e, no nosso caso, este se transforme a prazo num novo Afonso Costa. Eu sempre achei que a história só não se repete se nós não deixarmos.
Um grande abraço.

L.Alcobia disse...

Nunca mais nos livramos desse,já nem pelo D.Sebasteão se espera. Portugal vai provar que uma ditadura pode ser democrática, com votos nas urnas e tudo.