21/03/08

Pincelada no cinzentão. Não me digam que não tem graça.

Mafalda Moncada

“Descobri a traição por SMS”

Mafalda Cabral de Moncada, mulher do chefe de gabinete do presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, invadiu o Parlamento terça-feira e, “descontrolada”, gerou uma grande confusão. “É a raiva de uma mulher ferida de amor”, diz. O divórcio litigioso já corre.
Casada há quinze anos com Eduardo Âmbar, ex-secretário de Estado da Cooperação, Mafalda descobriu que estava a ser “enganada”. A desconfiança atormentava-a há sete anos, mas a confirmação veio há dias, através das “palavras de paixão” que chegaram, por sms, ao telemóvel do marido. “Tentou convencer--me que eram coisas da minha cabeça, mas eu não me vendo”, adianta Mafalda, cuja insistência arrancou uma confissão de Eduardo Âmbar. “Disse que andava com a secretária”.
Não satisfeita, Mafalda correu no dia seguinte ao Parlamento para pôr os pontos nos ‘is’ com a amante do marido. “Foi tudo pelos ares. Parti dois copos e ainda bati no meu marido. Nunca me senti assim, mas não a chamei p... como dizem”, sublinha. A secretária não assumiu a relação. E Mafalda começa a desconfiar que, afinal, “podem ser duas e não uma amante”.
A mulher de Eduardo Âmbar diz que o seu objectivo nunca foi o de prejudicar o trabalho do marido, a quem apenas pede que saia de casa. “Foi apanhado em adultério. Tem de sair!”. Entretanto, foi Mafalda quem saiu de casa, mas só até domingo, para descansar.
'NÃO HÁ PERDÃO POSSÍVEL'
Mafalda Moncada conta que Eduardo Âmbar diz gostar dela. Mas, para ela, “não há perdão possível”.
Janete Frazão

1 comentário:

Lena Lena disse...

não acredito, isto é brincadeira, não é?